É normal, atualmente, ver protestos pelo país a respeito dos escândalos de corrupção. O cidadão brasileiro demonstra indignação e revolta pelos usurpadores do dinheiro público, aflorando mais ainda a desigualdade financeira e o descaso para com os interesses da população brasileira. O povo se manifesta-se nas ruas enquanto as investigações continuam, trazendo à tona descobertas que anulam toda a nossa confiança nas autoridades que dirigem o nosso país.

Política não se discute? Tem de ser discutida, sim. Por razões que podemos compreender, infelizmente o brasileiro associou a palavra "política" a inúmeros termos escusos como corrupção, roubo, ganância, poder, lavagem etc.

Publicidade
Publicidade

O cidadão preocupado com a situação de seu país precisa cobrar mais, participar e conhecer melhor a nossa política, pois quem se informa corretamente tem base para defender seus direitos, porque deveres já cumprimos muito.

Poder ao povo

Um dos maiores artistas brasileiros e também deputado federal #Sergio Reis (PRB-SP) manifestou, nesta quinta-feira (2), em carta publicada no jornal Diário de São Paulo, seu repúdio à atual crise que assola o Brasil. Ele começou a carta afirmando que lutou contra a ditadura militar. Arriscou o emprego participando das assembleias, distribuiu panfletos, pichava muros com o slogan "Abaixo a ditadura!" O cantor ainda disse que tomou borrachadas, participou de manifestações populares e engoliu gás lacrimogênio.

"Chorei quando anunciaram a devolução de poder ao povo", disse Sérgio.

Publicidade

Foi uma luta descomunal para recuperar o poder do povo. Porém, hoje vemos como a desinformação prejudica o crescimento de uma nação. A maioria das pessoas não sabe como funciona nosso sistema político brasileiro. Acreditam que apenas votando em seu candidato escolhido estão exercendo a democracia. Acomodam-se e só procuram seus direitos quando a situação aperta.

Perdão

Sérgio conclui a sua carta pedindo "perdão pela porcaria que fiz". Em resumo, ele aponta o caos na saúde pública, homicídios que ocorrem por motivos supérfluos, a decepção de ver nossa juventude se afogando no mundo das drogas, meninas de 14 anos grávidas e sozinhas - ausência de princípios morais e familiares - e condenou toda a classe política chamando-a de incompetente. Desabafo de quem lutou e quase morreu para defender os verdadeiros #interesses do povo.

De quem é a incompetência? Do cidadão que ignora nossa política ou dos políticos que ignoram os interesses coletivos em nome dos seus?

"Deveria ter ficado em casa." Assim Sérgio Reis concluiu sua carta. Talvez seja esse mesmo pensamento de quem, nos idos de 1964, lutou pela liberdade de escolha da nação. Para pensar muito em nosso papel como cidadão participativo que deseja, com toda garra, o bem do Brasil. #escândalos de corrupção