A "selfie" agora é moda nas redes sociais, e é utilizada muitas vezes para mostrar o espírito aventureiro das pessoas. Porém, para uma turista paraibana, cujo nome não foi revelado, a aventura para tirar a selfie perfeita durou pouco no arquipélago de Fernando de Noronha, em Pernambuco.

A turista, de 35 anos, estava com seu namorado na #Praia Sueste quando encontrou um filhote de tubarão-limão e tentou agarrá-lo para tirar uma selfie, nesta segunda-feira (06), mas o filhote mordeu os dedos da moça, que teve dificuldade para se livrar do animal.

Outros turistas que passavam no local registraram a cena e o casal foi questionado se eram biólogos do parque.

Publicidade
Publicidade

Quando o casal respondeu que NÃO, uma mulher ficou indignada com a ação, afirmando ser ignorante a atitude do casal. "Para quê pegar o bicho para tirar uma foto? Só para poder mostrar as fotos para os outros. Isso é uma ignorância total". O vídeo repercutiu nas redes sociais e o casal foi alvo de muitas críticas. A turista foi encaminhada para o hospital São Lucas, situado no próprio arquipélago, levou quatro pontos e passa bem.

Esclarecimentos

A praia em que o casal estava é uma área de preservação e pertence ao Parque Nacional Marinho, que é gerido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e, dentre as normas do local, é proibido alimentar, caçar, capturar e perseguir os animais. Além disso, para tornar ainda mais imprudente a atitude da mulher, o #tubarão-limão está ameaçado de extinção.

Publicidade

O animal se torna presente nas águas rasas da região por se alimentar de pequenos peixes.

Devido ao incidente, a turista precisou comparecer, nesta terça-feira (07), à sede do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) para esclarecer sobre o ocorrido. O Instituto estabeleceu uma multa de R$ 5 mil para cada um do casal por crime ambiental. Porém, em virtude do ato ter ocorrido em uma região de conservação, o valor da multa dobra, totalizando R$ 20 mil. Além disso, Júlio Rosa, coordenador de Fiscalização do ICMBio, afirmou que o caso será enviado ao Ministério Público para que o casal possa responder criminalmente. #crimeambiental