A página da #Unimed São Roque, cidade localizada no estado de São Paulo, foi invadida por milhares de internautas que pediram uma posição da empresa em relação ao médico #Richam Faissal Ellakkis. O neurocirurgião sugeriu em um grupo do Whatsapp um procedimento para matar a ex-primeira-dama #Marisa Letícia, que estava internada no Hospital Sírio Libanês, desde o dia 24 de janeiro, e teve morte cerebral nesta quinta-feira (2).

"Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela (sic)", comentou Ellakkis, em um grupo do aplicativo para mensagens instantâneas que reúne médicos formados pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, em 2009.

Publicidade
Publicidade

O comentário maldoso de Richam Faissal Ellakis, que já trabalhou no Hospital Municipal de Ermelino Matarazzo, na zona leste da cidade de São Paulo, e foi residente no Austa Centro Médico, em São José do Rio Preto, foi feito diante do diagnóstico da ex-primeira-dama.

Cobranças à Unimed

A página da Unimed São Roque, que tem quase cinco mil curtidas, recebeu milhares de críticas de internautas de todo o Brasil que cobram uma posição da empresa.

“Eu como afiliada ao plano Unimed, exijo da empresa uma postura idônea e ética frente ao terrível caso de desrespeito e falta de profissionalismo do médico envolvido no escândalo do caso da ex primeira dama Dona Marisa Leticia! Não podemos mais permitir que uma empresa que ganha dinheiro com vidas humanas fique no marasmo de acontecimentos tão aterradores e façam cara de paisagem! Isso é indigno de nós que pagamos muito caro para termos um plano de saúde que permite em seus quadros de profissionais esse tipo de médico”, desabafou uma internauta.

Publicidade

Os internautas também demonstraram a indignação em postagens atuais e antigas da Unimed São Roque. Além disso, na seção de avaliação que existe nas páginas do Facebook, a empresa de convênio médico passou a ser avaliada com uma estrela, que equivale a uma nota ruim.

A empresa ainda não se posicionou sobre o caso, mas parece questão de tempo para o médico Richam Faissal Ellakkis seja demitido.