Uma semana depois do início da greve dos policiais no Espírito Santo, que paralisaram o trabalho em busca de melhores salários, o presidente da República Michel #Temer se manifestou por meio de nota oficial. Nesta sexta, antes da reunião que determinou a volta do trabalho dos agentes, o peemedebista falou que a atitude dos PMs era "inaceitável".

"O presidente acompanha, desde os primeiros momentos, os acontecimentos no Espírito Santo. Ele condena a paralisação geral dos policiais do estado, o que está levando temor à população capixaba. Ciente da situação, houve a determinação do envio de dois mil homens para auxiliar e reestabelecer a ordem local", diz um trecho do comunicado assinado pela presidência.

Publicidade
Publicidade

O texto ainda destaca que "o direito à reivindicação não pode tornar os brasileiros reféns", em alusão à demanda dos policiais em melhores salários. A crise começou quando esposas, mães e filhas dos agentes começaram a impedir a entrada e saída dos familiares policiais nos Batalhões. Segundo dados do Sindicato dos Policiais Civis local, a onda de violência da última semana deixou 121 mortos.

Nas redes sociais, circularam muitos vídeos com saques à loja, tiroteios e assaltos. Porém, nesta sexta, uma reunião entre o governo local e entidades do setor de segurança estabeleceu a volta dos trabalhos já para este sábado, a partir das 7h. #Espirito Santo