Nesta segunda-feira, 20, a justiça do Rio de Janeiro decidiu dar o veredito final sobre o caso de estupro coletivo de uma adolescente de dezesseis anos. A decisão expõe a verdade a cerca dos fatos - na visão da lei - e a pena dada aos infratores foi vista como inacreditável por muitas pessoas. Dois dos réus, Raí de Souza e Raphael Assis foram condenados a quinze anos de reclusão pelo abuso contra a menina, que ocorreu pouco antes da Olimpíada do Rio de Janeiro. O #Crime de estupro ocorreu em uma comunidade da cidade maravilhosa e ocorreu no dia 21 de maio. A situação virou notícia em todo o mundo, após um vídeo mostrando os abusos sexuais contra a menina ganharem as redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Nas fotos e vídeos, alguns homens faziam brincadeiras com a garota nua.

As manchetes, na época, davam conta que a jovem foi estuprada por mais de trinta homens. Souza foi o homem que gravou o vídeo que ganhou as redes sociais. Nele, a vítima que não pode ter o nome revelado, aparece desacordada, enquanto os homens dizem que ela foi violada, simultaneamente, por mais de trinta rapazes. Eles chegam a fazer brincadeiras com o órgão genital da adolescente, que estaria "largo", após o crime. É possível até mesmo ver um pouco de sangue no colchão que ela estava deitada. Belo, o outro condenado pela justiça, fez uma foto ao lado da adolescente, que dormia. Eles chegaram a dizer, na época da prisão, que não viram os atos como estupro e que não pensaram em como estavam a agir.

Publicidade

A decisão sobre a prisão foi dada pelo juiz Aylton Cardoso Vasconcellos, da 2ª Vara Criminal Regional de Jacarepaguá. O terceiro acusado de ter participado no crime, Moisés Camilo, conhecido como 'Canário', virou foragido da justiça. A jovem teria saído de uma festa na comunidade - um baile funk - e dormiria na casa de um namorado. Ela, no entanto, foi para o imóvel conhecido por receber traficantes, onde aconteceu o abuso. Os homens alegam que a jovem fez as práticas sexuais porque estava com vontade e que ela transava com vários criminosos, frequentemente. #Investigação Criminal