Dois jovens bandidos foram presos em flagrante no município de Três Lagoas, estado do Mato Grosso do Sul. Até então tratava-se de um crime como vários outros que a polícia tem que lidar ao longo de sua rotina. Entretanto, o crime revelou um outro, muito mais grave, cometido pelos mesmos presos.

Foi num vídeo gravado no celular de um dos menores presos que a polícia civil pode desvendar o outro crime, acontecido na capital. O vídeo mostra um #assassinato com requintes de crueldade e características de execução. Um jovem com as mãos amarradas e ajoelhado dá um recado para a câmera e logo na sequência um dos homens atira em sua cabeça e, posteriormente, desfere outros tiros em seu corpo.

Publicidade
Publicidade

Outros dois homens desferem facadas sobre seu peito e pernas. O vítima nas filmagens é suspeito de participar de facção de tráfico de drogas rival à facção dos assassinos. O assassinato é cometido a sangue frio.

Esse segundo crime aconteceu em Campo Grande, saída para Rochedo, na Cachoeira do Ceuzinho, onde o corpo foi encontrado nesta quarta-feira (15). O homem morto teve seus documentos ocultados pelos agressores, o que tem dificultado a identificação.

O delegado do caso, Bruno Urban, responsável pela Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), confirma que a morte é resultado de uma guerra de facções do crime organizado no estado. O delegado ainda afirma que um outro adulto, de 24 anos, foi delatado pelos menores e preso logo em seguida. Os três confessaram o assassinato a sangue frio e ainda contaram que foram contratados para a execução.

Publicidade

Segundo relato de um dos menores presos, "A treta não era nossa, era de uns maluco da pesada aí que pagaram a gente pra passar o vagabundo".

O adulto será indiciado por assassinato duplamente qualificado, sequestro, porte de armas, ocultação de cadáver e corrupção de menor. As penas somadas podem ser superiores a 30 anos de cadeia.

Já os menores são protegidos pela lei do menor e adolescente, ficam, até completarem 18 anos, em um "abrigo".

Por respeito às pessoas que assistem, o vídeo foi editado pela TV Morena, afiliada da Globo no estado, mas dá uma dimensão da crueldade.

#roubo #menores do crime