O major da Polícia Militar identificado como Ramos, teria se irritado com uma das manifestantes que estavam no protesto de familiares de policiais. A situação aconteceu em frente ao 7° Batalhão da Polícia Militar (BPM) de São Gonçalo, #Rio de Janeiro.

Um vídeo circulou na internet e mostra o momento em que o policial dá uma gravata na manifestante e tenta imobilizá-la, uma outra mulher teria gravado o vídeo para utilizar como uma futura prova. A maioria das manifestantes do local eram mulheres, três delas foram colocadas dentro de uma viatura que as conduziriam até uma delegacia.

A PM informou que o grupo estaria prejudicando e impedindo a saída e entrada dos policiais no batalhão, por isso o alvoroço.

Publicidade
Publicidade

Segundo policiais foi feito tentativas de conversas com as mulheres, para que pudessem negociar e entrar em um acordo, mas as manifestantes se mostraram muito resistentes fazendo com que a polícia buscasse outra forma de atuação.

As mulheres xingavam o policial, e quando um delas foi colocada dentro da viatura, acabou escapando, o que segundo a PM, foi preciso usar outra forma ou "outros meios necessários para detê-la".

No vídeo é possível perceber o desespero das mulheres quando o major Ramos segurou uma das manifestantes pelo pescoço levando ela imediatamente para a viatura.

Desde a última sexta-feira (10), mulheres que dizem ser parentes de policiais militares se encontram acampadas em vinte e sete batalhões da PM. Elas lutam para conseguir o 13° salário e bonificações que estão atrasadas.

Publicidade

O Estado do Espírito Santo entrou em uma grave crise devido a PM parar as atividades em busca de melhorias nos pagamentos e bonificações atrasadas, mesmo motivo que agora leva ao Rio de Janeiro outras manifestantes.

O 7° Batalhão da Polícia Militar diz que irá apurar o caso. Mesmo quando as mulheres estavam na viatura continuaram xingando o policial, em meio a gritos uma delas diziam "covarde".

Veja a seguir o vídeo que mostra o momento em que o polícia tenta outros meios para levar a mulher até a delegacia.

#Manifestação #Casos de polícia