O trabalho de policiais e seguranças é bastante complicado em todo o Brasil. Eles também, muitas vezes, acabam sendo reféns da criminalidade. Nessa semana, por exemplo, um homem que trabalhava em um posto de gasolina na cidade de Campinas, no estado de São Paulo, acabou sendo morto. Ele era vigilante de uma loja de conveniência, localizada no bairro Jardim Itatinga. Por questões judiciais, não identificaremos o nome da vítima, a quem chamamos apenas de LHJO, suas iniciais. LHJO tinha trinta e cinco anos. Sua morte foi transmitida por câmeras de segurança da loja. O assassino, aparentemente, entrou no local já querendo assassinar o homem.

O portal de notícias G1 divulgou as imagens do assassinato.

Publicidade
Publicidade

O conteúdo pode ser visto ao final dessa reportagem e é considerado forte. Um homem entra vestindo apenas uma calça jeans e uma espécie de jaqueta. Ele também está usando um capacete e uma espécie de pano vermelho no rosto, a fim de esconder o rosto. Realmente, pelas imagens fica bastante difícil identificar o rosto do homem. As informações que dão para serem adquiridas pelas câmeras é a cor da pele do homem e sua estatura. O homem é bem menor e menos musculoso que o segurança, mas mesmo assim, por conta da arma de fogo, ele acaba mostrando o seu poder se controle.

O atirador, ao entrar na loja de conveniência, manda o segurança virar de costas e, em seguida, atira contra sua cabeça. Ele faleceu na hora. Após o #Crime, o corpo do homem foi levado par ao Instituto Médico Legal (IML) da região.

Publicidade

De acordo com informações do portal de notícias G1, nenhum suspeito teve o seu nome anunciado ou foi preso.

Veja abaixo o vídeo que mostra o segurança sendo executado com um tiro à queima roupa. Atenção, alguns leitores podem achar as imagens fortes. Por isso, fica o alerta. Na sua opinião, caso o vigilante estivesse mais atento, ele poderia evitar essa execução. Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua opinião é sempre importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas importantes.

#Investigação Criminal