Na manhã da terça-feira (14) passada, Kim Jong-nam, de 46 anos, meio-irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-il foi morto enquanto tentava embarcar no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia. A vítima tinha um desentendimento com o governo do irmão, e já tinha vindo a público para criticar suas políticas de estado e a dinastia da família.

Ele vivia em Macau, na China, e estaria de passagem na Malásia, tentando embarcar para casa quando foi morto. Vários governos internacionais acusam, desde a semana passada, o governo de Jong-il de ter mandado matar o próprio irmão. As imagens de segurança do aeroporto, divulgadas na tarde desta segunda-feira (20) serão de ajuda para elucidar o caso.

Publicidade
Publicidade

Nas cenas é possível ver que duas mulheres se aproximam da vítima. Uma delas estaria sob poder de um potente veneno que teria sido responsável pela morte do irmão do ditador.

Ele foi encontrado caído no banheiro do local. As autoridades da Malásia agora trabalham também para tentar solucionar o caso. De acordo com primeiro ministro, Razak, tudo será feito para ajudar no processo, uma vez que o país não teria motivos para atrapalhar as investigações. No entanto, afirmou que conduzirá as avaliações de maneira imparcial. Assista às imagens impressionantes do momento do #Crime:

O corpo de Jong-nam foi conduzido para serviço de necropsia uma vez que se tratou de morte violenta, esse fato, fez com que o governo norte-coreano condenasse Razak e a polícia da Malásia de atrasarem as investigações, e não devolverem o corpo no tempo previsto.

Publicidade

Jong-il chegou a afirmar que não confiava nas autoridades e nas averiguações feitas. No entanto, para a comunidade Internacional, ele teria sido o real mandante do assassinato.

Uma das mulheres identificadas pelas imagens já foi presa enquanto tentava sair do país. Além dela, outras três pessoas foram presas, uma indonésia, outra vietnamita e outra malaia. Outros quatro norte-coreanos vêm sendo procurados, uma vez que saíram do país imediatamente após o crime. A vítima já tinha sofrido uma outra tentativa de homicídio também comandada pelo irmão, autoridades dizem que existia uma ordem expressa de Jong-il para matá-lo desde meados de 2012. #Casos de polícia