Mais de sessenta pessoas teriam sido assassinadas em pouco mais de 24 horas apenas na grande Vitória. Os dados, revelados pelo G1, mostram apenas os chamados assassinatos violentos. Nas redes sociais, moradores da região compartilham fotos e vídeos da cidade, mostrando que o casos tomou conta da região. O Departamento médico Legal da capital do Espírito Santo, por exemplo, está mega lotado. As informações são da Polícia Civil. O Presidente da associação de investigadores da entidade, Junior Fialho, contou ao G1 que doze geladeiras do frigorífico estavam funcionando, mas que o número de mortos que estava na unidade era muito grande. Além do frigorífico, os corpos estão espalhados, aos montes pelo chão.

Publicidade
Publicidade

Um vídeo divulgado na internet mostra pelo menos dezesseis cadáveres.

A barbárie também chegou às ruas. Internautas filmam e fotografam a violência urbana que tomou a região e reclamam da falta de cobertura da mídia, em especial da Rede Globo de Televisão, em torno do assunto. Em alguns bairros existe, inclusive, uma espécie de toque de recolher. Além dos assassinatos, um shopping foi saqueado, assim como lojas do centro comercial de Vitória. Criminosos passam nas ruas e pedem para que ninguém saia de casa.

O presidente da Assinpol, Junior Fialho, explicou que o ideal seria que a Sesp providenciasse um caminhão frigorífico, já que a tendência é que o número de mortos a serem periciados seja maior. Os policiais militares, em greve, pedem aumento salarial, além de melhorias nas condições de trabalho.

Publicidade

O governo estadual considerou a greve ilegal, mas familiares dos policiais foram para a porta da corporação e impedem a saída de qualquer carro. O governo estadual pediu ao presidente da república, Michel Temer, do PMDB, que envie o exército até à região. Você acha que a criminalidade por lá vai diminuir? Comente!

Vídeos e fotos que marcaram o Espírito Santo

Este cidadão teria sido uma das vítimas da falta de segurança no estado:

O rapaz de bicicleta diz para os cidadãos não saírem de casa no vídeo que repercutiu abaixo:

#Crime