O organograma da Administração Municipal da cidade de São João del-Rei foi aprovado na última terça-feira, 21. Em meio à crise econômica que o Brasil se encontra, o projeto gerou críticas e discussões e, apesar disso, foi aprovado.

Segundo a secretária de governo Adriana Aparecida Rodrigues, o projeto prevê o aumento de 24 cargos comissionados o que custará R$ 550mil, anualmente. Valor este que foi contestado pela bancada da oposição que, na pessoa da Vereadora Lívia Guimarães, questionou o posicionamento da secretária afirmando que, se comparado com o da gestão anterior, o aumento de cargos seria de 71 e custaria R$ 2 milhões por ano.

Publicidade
Publicidade

No contra-argumento, Adriana afirmou que a vereadora estava se baseando no organograma da antiga gestão, que não contabilizava os cargos criados entre 2013 e 2016, período do governo de Helvécio Reis (do PT). A secretária afirmou que o projeto datado de 2013 criou novos postos e outras vinte funções e disse que Lívia não estaria considerando esses números, o que gerava a diferença.

Lívia ainda contestou a afirmação da secretária rebatendo que não haviam sido apresentadas todas as informações necessárias sobre o projeto e que o município não tem dinheiro para isso. Visto que os prazos legais para a análise do projeto já estavam esgotados, não cabiam mais recursos sobre a proposta. Sendo assim, o pedido da vereadora era inconveniente.

O embate gerou discussão entre os legisladores e protestos do público que estava presente no plenário.

Publicidade

A votação teve início e o projeto foi aprovado por 7 votos a 5. Como não houve empate, Igor Sandim (PSDB), o presidente da Câmara não votou. Foram a favor do projeto: o vereador João Heitor de Carvalho (do PSDB), Jorge Hannas e Rodrigo Deusdedit (ambos do PDT), Robson Zanola (do PSC), Sebastião Roberto de Carvalho, Stefânio Pires e Werinton Andrade (todos do PSL). Os vereadores que votaram contra o projeto foram: Altamir Zanetti (do DEM), Francisco de Paula (REDE), Leonardo Silva (PSDB), Geraldo Santiago (PTB) e Lívia Guimarães (do PT). #são joão del-rei #Política