No início da tarde deste último domingo (26), uma tragédia acabou ceifando a vida de uma jovem de apenas 15 anos de idade em Criciúma, em Santa Catarina. A adolescente estava em casa com um amigo, de 14 anos, e decidiu realizar uma ‘brincadeira’ chamada de roleta-russa. O jogo perigoso consiste em uma tentativa de alto extermínio premeditada, e conta com a sorte para que quem esteja brincando não perca a vida. Fato que infelizmente não aconteceu com a menina que disparou contra a própria cabeça.

Segundo os relatos do amigo que estava no momento, a jovem teria aparecido na sala onde os dois se encontravam com um revólver calibre 38, que ao que tudo indica pertencia ao padrasto da mesma.

Publicidade
Publicidade

A arma estava com a numeração raspada e a polícia ainda não sabe a origem da mesma. Com a arma na mão adolescente teria coloca apenas uma bala no tambor e teria começado a brincadeira diante do amigo. Ela teria algumas chances de atirar, e contar com a sorte para que em nenhuma delas a bala disparasse.

Infelizmente, não foi o que aconteceu, e ela acabou perdendo a vida na frente do amigo. O menino acionou a polícia militar que atendeu à chamada imediatamente e compareceu ao local. A mãe da adolescente também foi chamada e entrou em estado de choque ao ver o corpo da filha na residência onde a família morava. A polícia Civil, que agora investiga as nuances do #Crime, esteve no local, e um serviço pericial foi realizado para colher provas.

O corpo da adolescente foi encaminhado para o Instituto Geral de Perícias de Criciúma e deverá passar por serviço de necropsia para entender o que realmente aconteceu naquela tarde.

Publicidade

Depois de realizado o laudo para as investigações a família poderá fazer o reconhecimento e prestar as últimas homenagens à jovem. O padrasto da mesma não foi localizado, mas deverá comparecer à delegacia para prestar depoimento quanto à origem da arma.

Além disso, os investigadores ainda devem confirmar através dos registros dos peritos, se a história contada pelo amigo, a única testemunha ocular, corresponde com a verdade. Todos os familiares estão consternados com o que aconteceu, e ainda tentam entender porque a adolescente teria iniciado a brincadeira perigosa. #Casos de polícia