Continua correndo nos bastidores da imprensa do Amazonas e também nas redes sociais dos moradores do Estado, a informação de que Clayton Pascarelli, apresentador do Bom Dia Amazônia, da #TV Globo local, teria sido demitido após fazer críticas ao governo do Estado.

O profissional teria feito, no programa que foi ao ar no último dia 2 de janeiro, o seguinte comentário: ‘esperar o que deste governo?’.

A frase, dita após a veiculação de uma matéria e de uma entrevista coletiva com representantes do Governo, acabou tendo um efeito reativo ao jornalista, segundo os boatos que correm no mundo televisivo.

Os rumores que correm é que o governador José Melo (Pros) não gostou nada do comentário e teria utilizado de sua influência para ‘pedir a cabeça’ do profissional.

Publicidade
Publicidade

Em seu perfil no Instagram, Pascarelli ressaltou que após 11 anos dedicados à emissora Rede Amazônica, afiliada da Globo em Manaus, não fazia mais parte dos quadros. Amigos do jornalista, colegas de casa e também telespectadores comentaram a sua demissão dando apoio à Pascarelli.

Segundo consta, um diretor da emissora teria entrado nos estúdios do programa indignado porque seu telefone não parava de tocar em razão da crítica do jornalista.

Pascarelli era temido por autoridades, que evitavam participar do programa matinal em razão de suas perguntas incisivas. O jornalista é especialista em segurança pública, repórter investigativo e ainda atua como diretor Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo.

Para veículos que o procuraram após o desligamento, o profissional evitou dar detalhes de sua saída, mas confirmou que tratava-se de uma retaliação por conta dos transtornos que seus comentários geravam na casa.

Publicidade

Sabe-se que a pressão exercida pelas autoridades políticas sobre jornalistas investigativos de afiliadas do Norte e Centro-Oeste é mesmo enorme. A ponto, inclusive, de muitos deles sugerirem pautas para colegas do Programa Fantástico, ao invés de eles mesmos as produzirem, por medo de serem demitidos logo após a veiculação do material. Eles não temem apenas a perda do emprego, mas, também, temem por suas vidas, já que muitos políticos destas regiões atuam como verdadeiros coronéis e são ligados a grupos criminosos.

#Política