Uma academia de ginástica da pequena cidade de Catu, na Bahia, viveu cenas de horror na última quinta-feira (16). No local uma das alunas que estava treinando no período noturno foi alvejada com 12 tiros, levando pânico aos frequentadores e aos moradores das proximidades.

A vítima tinha 18 anos de idade, e morava no município, localizado a 85 quilômetros de capital, Salvador. De acordo com o que foi apurado até o momento, dois homens pararam uma motocicleta na porta do estabelecimento, invadiram o prédio e já saíram atirando diretamente no alvo com pistolas automáticas.

Testemunhas contam que não foi possível reconhecê-los, pois eles não tiraram o capacete.

A academia chama-se Max Fitness e a vítima era Diná Carvalho da Silva. Ela tinha chegado no local havia meia hora e estava malhando em um do aparelhos de musculação quando foi atingida. Os alunos que estavam presentes contaram em depoimento que ouviram os gritos dos dois assassinos ordenando que os alunos largassem os aparelhos e imediatamente deitassem no chão com as mãos na cabeça.

Os comandos foram cumpridos e havia o sentimento geral de que os marginais estavam assaltando o estabelecimento. No entanto, vários tiros foram disparados para desespero geral. Testemunhas viram quando a dupla se dirigiu diretamente à Diná e abriu fogo. Baleada nas costas e em várias partes do corpo a vitima morreu na hora e os dois bandidos fugiram rapidamente,

Tudo aconteceu tão rápido que não houve tempo de anotar a placa da motocicleta. Minutos depois, a #Polícia chegou para preservar o local para perícia, enquanto outros agentes seguiram em diligências para tentar localizar os assassinos.

Ainda não há pistas concretas que levem à identificação e localização dos mesmos. Segundo as investigações preliminares, a vítima tinha boas relações com várias alunos e profissionais da academia. Entretanto, era vista como inimiga de traficantes locais por manter amizade com alguns policiais da cidade.

O corpo da jovem foi levado na quinta-feira mesmo para o Departamento de Polícia Técnica de Alagoinhas.

#Crime