Ele era um compositor de sucesso e também um cantor promissor. Felipe Yves Magalhães Gomes, de 21 anos, no entanto, acabou entrando nas estatísticas e virando mais uma vítima da violência brutal no Brasil. Amigo pessoal do cantor Léo Santana, ele agitou o Carnaval de Salvador, na Bahia, nos últimos anos. Quem curte a folia, por exemplo, certamente, já ouviu alguma das músicas compostas por Felipe, mas jamais, é claro, imaginaria que ele teria um final tão trágico. É dele canções como 'Bota o bumbum dela no paredão'. O artista, no entanto, saiu do estrelato e foi assassinado nesta segunda-feira, 6, na capital baiana, que ajudou a levar alegria para muitos.

Publicidade
Publicidade

O homem, segundo informações do site 'Correio 24 Horas' em reportagem publicada nesta terça-feira, 7, teve a cabeça arrancada com um facão. Depois de assassinato, provavelmente, na tentativa de esconder vestígios do corpo, traficantes da região, conhecida como 'Morro da Independência', colocaram fogo no cadáver. Yves, segundo o 'Correio 24 Horas', era um artista multi-tarefa. Ele também atuou como vocalista da banda Golaço tocando pagode. Em fevereiro, durante o Carnaval, o cantor disse que, a partir de agora somente faria músicas do gênero gospel. A carreira, no entanto, do artista, que fez canções para Léo Santana e Kannário, não durou muito tempo, sendo interrompida por uma barbaridade.

Nas redes sociais, muitos fãs, ao saberem da tragédia com o músico, postaram mensagens tentando confortar amigos e familiares por tudo o que aconteceu.

Publicidade

Um deles chegou a dizer que era necessário acabar com a violência no país, que já era hora de um basta. Outro argumentou que a segurança na capital da Bahia inexiste e que dá medo de sair de casa, sem saber se vai voltar ou não. A Polícia Civil de Salvador investiga o caso e, em nota, informou que quando foi avisada da situação já encontrou o corpo do cantor sem vida. Algumas imagens que seriam do músico morto chegaram a ser divulgadas na internet, mas em respeito aos familiares não as divulgaremos. #Crime