Uma judiaria foi cometida contra um pequeno animal no bairro Santa Helena, no município de São Manuel, no estado de São Paulo. O cachorro foi praticamente enterrado vivo pelo próprio dono após ser violentado com um pedaço de pau. O caso ocorreu na terça-feira de Carnaval, 28 de fevereiro, mas apenas agora está tendo repercussão nacional. O assunto ganhou as manchetes de todo o país, como no portal de notícias G1. A guarda municipal encontrou o animal, após receber uma denúncia de vizinhos da região. Eles encontraram o cachorro dentro de uma espécie de lata de lixo. Ele estava com um pano enrolado em seu corpo. Vizinhos afirmam que viram o momento que o homem, dono do cachorro e que não teve o nome identificado pela polícia, agredia o animal.

Publicidade
Publicidade

Ele latia muito de dor.

Os guardas, ao chegarem ao local, pensaram inicialmente que ele estava morto. O bicho seria enterrado dentro do próprio quintal. O dono do animal informou que ele morreu e que estava fazendo o enterro do bicho. Uma cova já havia, inclusive, sido cavada. No entanto, ao tocarem no cachorro, apesar de muito ferido, ele estava vivo. A situação macabra impressionou os agentes da lei, que certamente não esperavam por um dia de trabalho, no mínimo, inusitado.

Após a cena digna de filme de terror, o cachorro foi resgatado e encaminhado para a Guarda Municipal. No local, segundo o portal de notícia da Rede Globo, o PET recebeu os primeiros socorros. Mais tarde, ele foi levado a uma clínica veterinária, onde uma avaliação mais especializada foi feita. A clínica pertence à Unesp.

Publicidade

No local, o cachorro, que não tem nome, tem sido trabalho. Além dos ferimentos pelo corpo inteiro, o animal estava com sinais de descuido, estando, inclusive, desnutrido.

O homem que agrediu o cão disse que bateu nele, pois o animal estava cheio de carrapatos. Ele responderá pelo #Crime de maus tratos. Veja abaixo o pedaço de pau utilizado para violentar o cachorro. Atenção, a imagem a seguir pode ser considerada forte para alguns leitores. Por isso, deixamos o nosso alerta.