Um homem e uma mulher foram presos neste sábado (4), apontados como criadores de uma agência de modelo de fachada, que na verdade era uma isca ara aliciar meninas.

As garotas eram submetidas a rituais satânicos e há denúncias de que também eram estupradas. Tudo aconteceu em Porto Velho, Rondônia. As prisões, efetuadas pela equipe da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), ocorreram depois que ao menos quatro vítimas procuraram a polícia da capital para registrar boletim de ocorrência.

Segundo as autoridades policiais, um dos suspeitos tem 34 anos. Ele agia junto com uma mulher de 21 anos de idade. O esquema era simples.

Publicidade
Publicidade

Eles aliciavam as vítimas, dizendo que eram donos de uma agência de modelos e que queriam fazer testes fotográficos. No entanto, as jovens acabavam sendo levadas para um motel. Lá eram ameaçadas e abusadas sexualmente. Tudo acontecia sobre uma estrela desenhada no chão, ao lado de algumas velas pretas acesas.

Segundo a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam), das quatro vítimas que prestaram queixas, duas eram adolescentes.

A titular da Deam, Marcia Gazoni, explicou que a dupla também fingia ter uma falsa agência de empregos. Esta estratégia era usada para aliciar vítimas que não tinham sonho de modelar, mas, sim, de obter um emprego.

Uma das garotas que caiu na armadilha contou que tinha sido contatada para fazer um serviço e assim que se apresentou no local indicado, ela foi rendida e ameaçada.

Publicidade

Depois os dois a levaram para o motel onde ela foi violentada.

Para não chamar a atenção, o primeiro contato era sempre feito com a mulher. E isso sempre ocorria em local público. Depois as presas eram conduzidas de motocicleta ou carro para outro ponto. Neste segundo local, o homem já as aguardava e fazia as ameaças. Uma vez encapuzadas, as vítimas levadas à força para um motel onde eram violentadas.

Quem as violentava era o homem, que mantinha um relacionamento com a parceira de #Crime, apesar de ser casado.

Os apetrechos usados nos estupros e rituais foram apreendidos pela polícia e servirão de prova no inquérito. As equipes conseguiram encontrar e prender o homem em Porto Velho e a mulher em Candeias do Jamari. #Casos de polícia