Um casal foi preso pela polícia, acusado de criar uma agência de modelos para abusar sexualmente das vítimas durante rituais satânicos, na manhã de sábado (4), na cidade de Poro Velho, em Rondônia (RO). O casal, cujos nomes não foram revelados, tem 34 anos, o homem e 21 anos, a mulher. Ambos levavam as jovens até um motel, onde eram abusadas dentro de uma estrela desenhada no chão, rodeada de velas pretas. Em seguida, eram ameaçadas de morte caso contassem o que tinha acontecido para alguém. Segundo a polícia, pelo menos 4 pessoas foram vítimas do casal, entre elas duas menores.

Conforme informações repassadas pela delegada Marcia Gazoni, as jovens eram atraídas de duas maneiras, oferecendo empregos e uma falsa agência de modelos.

Publicidade
Publicidade

Segundo a delegada, uma das vítimas relatou que foi contratada para realizar um serviço e os acusados tinham ligado para ela para comparecer em certo local indicado pelo casal. Lá ela foi rendida, em seguida, foi levada até um motel onde foi violentada sexualmente.

Segundo informações repassadas pela polícia, inicialmente as vítimas se encontravam com a suspeita em um lugar público, em seguida, eram levadas de motocicleta ou de carro para o motel onde o sujeito já as aguardava. No local, elas eram violentadas sexualmente em rituais satânicos e eram ameaçadas de morte. Conforme consta nos depoimentos das vítimas, os suspeitos faziam uma estrela no chão do quarto e acendiam várias velas pretas, onde depois eram estupradas pelo sujeito.

Na residência dos acusados a polícia encontrou os objetos usados durante o crime, sendo velas pretas, capacetes, uma moto, giz, canivete, bolsas usadas pelos suspeitos no dia do crime e uma corda.

Publicidade

Segundo a delegada Janaína Xander, os suspeitos usavam as velas pretas para algum tipo de invocação do mal. Conforme a delegada, com a prisão do casal a polícia espera que outras vítimas venham à tona.

O primeiro Boletim de Ocorrência relatando o abuso sexual foi feito em janeiro e o segundo em 25 de fevereiro, quando começaram as investigações. Os indivíduos prestaram depoimentos e negaram todas as acusações. Após o depoimento, eles foram encaminhados para uma penitenciária da cidade, onde ficarão à disposição da Justiça. Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado. #Religião #Investigação Criminal #Casos de polícia