A tecnologia pode ser uma má aliada da sociedade. Neste domingo, 12, uma chacina deixou pelo menos quatro mortos em São Gonçalo, município do estado do Rio de Janeiro. A chacina, como mostra uma reportagem do jornal Extra, ocorreu entre os bairros Lindo Parque e Rocha. Após a morte das vítimas - quatro homens - fotos dos corpos estirados foram compartilhados pelas redes sociais. Algumas das imagens, inclusive, estão sendo divulgadas via WhatsApp. Entre as vítimas, está um policial militar e outros dois homens. A quarta vítima teria morrido a caminho do hospital. Ela tinha sido encaminhada com ferimentos graves aoHospital estadual Alberto Torres.

O #Crime aconteceu quando anoitecia, pouco antes das seis da tarde.

Publicidade
Publicidade

Muita gente ainda estava nas ruas, pois nesse horário acontecem as partidas do futebol transmitidas na TV aberta. O assassinado aconteceu na Avenida Humberto Alencar Castelo Branco. De acordo com o Extra, o policial assassinado foi identificado como Luiz Alberto do Couto Neves. Ele tinha quarenta anos de idade. A informação teria sido confirmada pelo Comandante do Batalhão de São Gonçalo, Coronel Ruy França. De acordo com o militar, o PM morto estava festejando, quando duas motocicletas foram furtadas no bairro onde o crime ocorreu.

O policial, ao lado de quatro colegas, decidiu ir verificar a denúncia, mesmo estando em um momento de folga e lazer. No momento em que apuravam o furto, eles não notaram que os criminosos não estavam sozinhos. Um outro carro ajudava no crime. Os tiros contra o PM e contra os amigos dele teriam sido efetuados por esse veículo.

Publicidade

O coronel do Batalhão de São Gonçalo revela que, na sequência, os bandidos no outro veículo efetuaram os disparos. No momento da entrevista, o quarto homem ainda estava em estado grave.

De acordo com o jornal Extra, a publicação tentou entrar em contato com a família do agente da lei morto. Ninguém quis comentar nada nesse momento, pois todos os parentes estão muito abalados com tudo o que ocorreu. Nossos sentimentos às vítimas.