O drama da febre amarela está assustando grande parte da população brasileira. A doença, que estava controlada nos centros urbanos e restringia-se a casos isolados, em regiões específicas, já afetou 492 pessoas, com 162 mortes no país, desde o início do ano. O número de óbitos pode ser ainda maior, já que 96 mortes suspeitas ainda não foram confirmadas pelas análises.

Para tentar conter o avanço da doença, o #governo federal anunciou investimentos da ordem de R$ 19 milhões. Além disso, a Organização das Nações Unidas (#ONU), por meio do Grupo de Coordenação Internacional para o Fornecimento de Vacinas, providenciou o envio de 3.504.607 doses de vacina febre-amarílica ao Brasil.

Publicidade
Publicidade

O aporte anunciado pelo governo e as doações dos organismos internacionais devem ajudar o país a adotar ações que permitam frear o avanço da doença, que começou em janeiro, em algumas cidades de Minas Gerais, e já se espalhou para os estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

Ampliação da cobertura vacinal

Os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, que registraram a maior parte dos casos da doença, deverão passar a integrar o calendário permanente de vacinação febre-amarílica. Estudos do governo federal já estão sendo feitos nesse sentido.

Atualmente, a cobertura vacinal abrange 19 estados, distribuídos nas regiões Norte e Centro-Oeste (todos os estados); Nordeste (Maranhão,sudoeste do Piauí, oeste e extremo-sul da Bahia); Sudeste (Minas Gerais, oeste de São Paulo e norte do Espírito Santo) e Sul (oeste do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Publicidade

Outra medida que deverá ser adotada é a inclusão da vacina febre-amarílica no calendário de imunização para crianças até 5 anos de idade. De acordo com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a medida deverá ser colocada em prática a partir do ano que vem, em todos os estados brasileiros.

Dstribuição dos recursos

As 3,5 milhões de doses de vacina doadas pelo Grupo de Coordenação Internacional estão sendo destinadas às áreas que concentram o maior número de casos da doença.

O estado de Minas Gerais é o que apresenta o maior número de casos, respondendo por mais de 70% das confirmações. Ao todo são 376 casos confirmados, com 137 mortes.

Além de receber a maior parte das vacinas doadas pelos organismos internacionais, Minas Gerais receberá a maior parte dos valores a serem investidos em ações do governo federal, com R$ 10,74 milhões. Os valores serão repassados ao governo estadual e às prefeituras locais.

O Espírito Santos receberá R$ 2,51 milhões do total previsto, com repasses a serem feitos nos mesmos moldes. Em seguida vêm Rio de Janeiro (R$ 2,36 milhões), Bahia (R$ 1,89 milhão) e São Paulo (R$ 1,7 milhão).

De acordo com a Agência Brasil, no mês passado, já houve repasse de R$ 13 milhões para ações de prevenção à #Febre Amarela. O montante foi distribuído aos mesmos cinco estados.