Neste final de semana, o juiz #Sergio Moro tomou uma decisão muito dura, envolvendo Mariano Marcondes Ferraz, que é um rico empresário brasileiro. O empresário Marcondes é conhecido por ser casado com a atriz Luiza Valdetaro.

O Ministério Público Federal enviou uma denúncia contra o empresário, para Sério Moro, que aceitou. De acordo com informações publicadas pelo IG, o empresário teria abastecido o propinoduto, ou seja, ele participou do esquema de corrupção que aconteceu dentro da petrolífera brasileira, a Petrobras.

Esquema de Corrupção

De acordo com o site da revista Veja, os valores pagos em propinas chegaram a quase R$ 3 milhões.

Publicidade
Publicidade

O esquema envolveu a empresa de Marcondes, que é a Decal Brasil Ltda., com o ex-diretor de abastecimento da estatal petroleira Paulo Roberto Costa.

Forma de Pagamento

De acordo com os procuradores que cuidam do caso, o modo como as propinas eram pagas acontecia por meio de transferências de offshores, que eram operadas por Humberto Sampaio Mesquita na Suíça.

Os responsáveis pelas investigações articuladas pelo MP (Ministério Público) chegaram à conclusão de que Marcondes pagava propinas a Paulo e, em troca, o contrato de sua empresa era renovado com a petroleira.

O contrato a que o processo se refere envolve exclusivamente o Porto de Suape, em Pernambuco.

A empresa Decal era responsável pelo armazenamento e estocagem de vários navios da região pernambucana.

Confirmação

De acordo com matéria publicada pelo IG, essas informações teriam sido confirmadas pelo operador das offshores e pelo próprio beneficiário da propina, Paulo Roberto Costa.

Publicidade

Os dois envolvidos possuem acordos de “delação premiada” da #Lava Jato, por esse motivo, não foram denunciados pelo #MPF por este episódio.

Fiança Milionária

O empresário já havia sido detido e ficou recluso no dia 26 de outubro de 2016. A prisão aconteceu no momento que ele transitava no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Naquela ocasião, o empresário estava indo viajar para Londres, porém, ele foi detido e levado para Curitiba, no Paraná, e lá ficou recluso por pouco tempo, visto que pagou uma fiança grandiosa: a bagatela de nada mais, nada menos, que três milhões de reais.

Sérgio Moro decidiu que a nova ação penal deverá tramitar em segredo de justiça.