Uma mulher foi encontrada morta dentro de um matagal na manhã de quinta-feira (23), no assentamento Bom Jardim, a cerca de 10 quilômetros da cidade de Cáceres, a cerca de 220 quilômetros de Cuiabá (MT). A vítima foi encontrada por moradores da localidade completamento sem roupas. A mulher, de aproximadamente 30 anos, ainda não foi identificada pelas autoridades.

Segundo informações repassadas pela polícia, na manhã de quinta-feira, alguns moradores estavam caminhando pela mata quando avistaram o corpo da vítima às margens da rodovia BR-070. De imediato a polícia foi acionada pelos moradores e se deslocou até o local informado, onde confirmou a veracidade dos fatos.

Publicidade
Publicidade

Logo a cena do #Crime foi isolada para os trabalhos dos peritos.

De acordo com informações repassadas pelos peritos, o corpo da vítima apresentava vários ferimentos no rosto. Eles suspeitam que a jovem teria sido vítima de violência sexual, porém só um exame detalhado pode afirmar se ela foi abusada sexualmente ou não. Após os trabalhos preliminares dos peritos, o corpo da jovem foi recolhido e encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade, onde serão feitos exames detalhados para comprovar as causas da sua morte e se ela foi vítima de algum abuso sexual. Conforme informações da polícia, não foi localizado nenhum documento de identificação com a vítima.

Os investigadores da polícia fizeram rondas pela localidade perguntando sobre a mulher, mas nenhum dos moradores da localidade conhecia a vítima.

Publicidade

Para a polícia, a principal suspeita é que a jovem tenha sido assassinada em outro local e o corpo foi desovado dentro da mata. Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado pela divisão de homicídio da 1ª Delegacia de Polícia da cidade (1ª DP). A principal linha de investigação aponta para estupro ou assassinato.

Até o fechamento desta matéria, nenhum envolvido no assassinato da jovem foi localizado ou preso pela polícia. A polícia também não informou se familiares da vítima já reconheceram seu corpo no IML. #Investigação Criminal #Casos de polícia