A esperada CPI da Previdência (Comissão Parlamentar de Inquérito) já pode ser instaurada. O autor do pedido, senador Paulo Paim (PT-RS), conseguiu até o momento o apoio de 29 parlamentares - uma ótima adesão, já que para instalar a CPI seriam necessários que 27 fossem favoráveis.

Todo esse processo foi criado para investigar o déficit na Previdência Social. A ideia de criar uma CPI na Previdência Pública partiu do presidente da Cobap (Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas), Warley Martins, que se juntou ao senador Paim para oficializar o início processo investigativo, que precisa ainda ser aprovada para ser instalada.

Publicidade
Publicidade

O governo do presidente Michel Temer alega que a Previdência é deficitária. Por esse motivo, a Cobap e Paim tiveram a ideia de abrir essa investigação para descobrir a real situação do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), além de esclarecer toda a história das fraudes, desvios de verbas, sonegações e anistias e todos os tipos de irregularidades que possa estar ocorrendo para causar esse enorme rombo.

Pressão popular para instalar a CPI

Esse fato é histórico, pois em 92 anos de existência do INSS é a primeira vez que poderá passar por uma investigação. Para instaurar a CPI eram necessários que dois terços dos 81 senadores assinassem o pedido. Diante da falta de adesão dos parlamentares, partiu-se para a apresentação através de inciativa popular. A proposta é que a investigação seja da das do INSS durante as últimas décadas.

Publicidade

Espera-se que outros senadores fazem adesão e assinem a proposta para que a CPI tenha maior representatividade política.

Existe uma comoção social para investigar as contas da Previdência Social através de uma CPI. Estão sendo colhidas assinaturas para uma petição pública via internet, organizada pela ONG Avaaz, que já conseguiu cerca de 20 mil assinaturas, que será anexada à petição da Cobap e Paim e entregue aos senadores.

O Senado terá que concluir o parecer no período de 120 dias. Se forem encontradas fraudes no INSS, a reforma da Previdência poderá ter sua aprovação paralisada no Congresso Nacional. #CPI DA Previdência #CPI INSS