A mãe de #Eliza Samudio, #Sônia Moura, deu entrevista exclusiva para o site da revista Veja e fez revelações bombásticas. A avó de Bruninho, supostamente filho de Eliza com o #Goleiro Bruno, revelou que a morte de sua filha foi algo premeditado por ele. Ou seja, de acordo com Sônia, o goleiro, que atualmente está defendendo a camisa do Boa Esporte, de Minas Gerais, “falou que ia acabar com a vida de Eliza e em seguida ia sumir com o corpo dela, e assim ele o fez”.

Segundo ela, a sua filha já havia feito cinco boletins de ocorrências contra supostas agressões cometidas pelo jogador. Além disso, havia também um mandado de ação protetiva.

No entanto, mesmo com todas essas ações na Justiça, não foi o bastante para que se evitasse a sua morte.

Publicidade
Publicidade

“A maior dor do mundo é a perda de um filho”, disse Sônia. Ela conta que quando recebeu a notícia do sumiço de Eliza sentiu uma grande dor, dor de mãe. Atualmente, Sônia tenta encontrar o corpo de Eliza e diz que isso é algo muito importante para ela e para o seu neto.

“Para eles ,não têm valor nenhum, mas para mim, tem, e para o meu neto, também. Eu espero um dia poder colocar ela em algum lugar. A ligação que ela tem com o filho é muito grande ainda. Um dia desses, ele [Bruninho] estava beijando a foto da mãe. Eu não consegui ficar perto, fui para fora de casa chorando”, conta Sônia.

A avó de Bruninho conta na entrevista que a criança tem o mesmo sorriso da mãe. Sônia diz que ele a chama de mãe, mas sabe que na verdade ela é a avó e que a sua verdadeira mãe “está no céu”. Já com relação ao pai, Moura diz que, há alguns anos atrás, ela contou para ele que Bruno, o seu pai, estava preso em uma penitenciária por ter cometido algo errado.

Publicidade

Segundo a avó, o seu neto respondeu que “sente pena do seu pai de sangue”.

Sônia conta que trabalha duro diariamente para que o seu neto se torne uma pessoa mil vezes melhor que o próprio pai. No final da entrevista, Sônia conta que convive diariamente com a dor de ter perdido uma filha ainda jovem.

Segundo ela, ninguém imagina que irá perder um ente querido em breve, e isso aconteceu com ela. “Que justiça é essa?”, questionou Moura, quando lembrou que Bruno está atualmente fora da prisão e com um contrato de trabalho.