Na madrugada desta quinta-feira, 2 de março, uma mulher e uma criança conseguiram escapar de um possível atentado de um homem violento. O caso aconteceu no Rio Grande do Sul, na cidade de Imbé. A briga entre o homem e a mulher que tinham um relacionamento de seis meses, deixou o homem inconformado quando a moça disse que seria o fim do relacionamento entre os dois.

Em um ato de desespero, o homem pegou o álcool e começou jogar na mulher e em uma criança de apenas 7 meses que seria sobrinha da moça. Ele ameaçou atear fogo com o objetivo de matar os três, ele, a namorada e a sobrinha.

A Polícia Civil registrou o caso, a mulher e a criança estavam com o corpo encharcado de álcool e conseguiram rapidamente se livrar do homem pedindo socorro para os vizinhos, que fizeram de tudo para conter o furioso.

Publicidade
Publicidade

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) teve que ser acionado porque a mulher engoliu álcool. A prisão preventiva foi decretada pelo delegado plantonista. Em defesa, o homem disse que estava tentando cometer suicídio e que não queria matar a namorada e a sobrinha. Agora, resta ao judiciário julgar o caso.

Violência

Neste feriado do #Carnaval de 2017, vários casos de #Violência contra a mulher foram registrados. Segundo informações da Polícia, durante a época do carnaval a violência contra a mulher é maior. Por isso, campanhas de conscientização foram realizadas para evitar o mal hábito.

Conforme o alto índice de violência contra a mulher, blocos de rua carnavalescos fizeram campanhas contra assédio sexual, que em muitos casos pode levar a vítima a ter ferimentos físicos graves.

Publicidade

O movimento "Todas por Todas" foi realizado em um bloco do Rio de Janeiro, a responsável Ju Storino disse que estava cansada de repetir o "mantra" em prol das #mulheres.

A Polícia Militar também prendeu cerca de 278 pessoas com comportamentos suspeitos, crimes como assédio, porte de drogas e porte ilegal de armas foram notados. Os casos mais comuns de violência em festas como o Carnaval, levam a cirurgias na face devido a chutes e socos serem consequências físicas mais comuns.