O motorista da empresa #UBER, Jussan Rodrigues da Costa Alves Lima, de apenas 28 anos, foi surpreendido com tiros enquanto deixava uma passageira na esquina entre as ruas Barão de Mesquita e Paula Brito, no bairro de Andaraí, região norte do Rio de Janeiro. Infelizmente, Jussan não conseguiu resistir e veio a óbito.

O crime aconteceu na madrugada desta quinta-feira, 2 de março, por volta das 5 horas da manhã. Agora à tarde, a família da vítima foi até o Instituto Médico Legal (IML) para fazer o reconhecimento do corpo do jovem. Uma amiga do motorista se pronunciou sobre o caso, mas não quis ser identificada, ela conta que acredita que tenha sido uma tentativa de assalto.

Publicidade
Publicidade

Lembrando sobre como era a personalidade de Jussan, a amiga conta que ele não tinha nenhum inimigo capaz de fazer uma barbaridade nesse nível, "ele era 'do bem', calmo, tranquilo e trabalhador". A amizade entre os dois durou dez anos, eles se conheceram ainda quando Jussan prestava serviços como office boy, ele também morava na região norte do Rio, no bairro Piedade.

A amiga conta que já tentou se tornar motorista do Uber, mas como a violência da cidade é intensa, ela desistiu da profissão, "o Rio de Janeiro está muito perigoso. O número de assaltos cresceu bastante". A família da vítima se mostrou muito abalada na chegada ao IML, e não quis conceder entrevistas sobre o ocorrido.

Testemunhas do crime

Um porteiro contou que ouviu o barulho de dois tiros, ele trabalha em um prédio próximo ao atentado, mas talvez por medo e insegurança, ele não foi verificar o que poderia ser.

Publicidade

A testemunha lamentou e disse que mora no local há 28 anos e afirma nunca ter visto nada parecido. O porteiro se mostrou muito assustado com a criminalidade do Rio de Janeiro.

A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) irá investigar o caso e buscará os suspeitos, até agora nenhum criminoso foi identificado. Enquanto os assassinos estão soltos, o enterro de Jussan Rodrigues Lima está sendo programado, a família ainda não informou a data e o local. #Crime #Morte