Muitas mães deixam seus filhos em creches não por escolha, mas por falta de opção. O mínimo que se espera é que a creche tenha funcionários qualificados para lidar com crianças.

Mas, em Salto do Lontra, no sudoeste do Paraná, a polícia está investigando uma denúncia de #agressão a um bebê de sete meses em um centro de educação infantil. A prisão temporária da suspeita já foi pedida.

A agressora é uma estagiária, que também já foi acusada de agredir outras #crianças na mesma instituição, enquanto trabalhava no local. As agressões só foram descobertas porque uma outra funcionária, indignada com as atitudes, resolveu denunciar.

Publicidade
Publicidade

O caso veio a público nessa sexta-feira (24). A mãe do menino recebeu o vídeo que mostra o filho sendo agredido com palmadas e chacoalhões, enquanto chorava muito, e resolveu postar nas redes sociais.

Segundo o delegado, a funcionária denunciante disse, em depoimento, que não foi a primeira vez que presenciou uma agressão praticada pela suspeita contra crianças da creche.

Desde o sábado (25), o caso está sendo investigado, e foi aberto um inquérito policial com o pedido de prisão da acusada. As testemunhas estão sendo ouvidas já que há indícios de não ser a primeira vez que a funcionária agrediu uma criança.

A mãe, a avó e a funcionária que gravou o vídeo foram ouvidas na manhã desta segunda-feira (27), durante a tarde também serão ouvidas a secretária da educação e a diretora da creche.

Publicidade

Também intimaram a agressora da criança para dar sua versão, mas o advogado disse que ela está com medo de represálias. A mãe do bebê disse que não irá comentar o caso até que seja resolvido.

A secretária da educação, em nota, disse que repudia a violência, seja ela qual for. Ainda se pôs à disposição da família do bebê para prestar auxílio. A funcionária acusada foi afastada e já foi pedida a sua demissão imediata.

A agressora não se pronunciou, mas o advogado disse que ela está arrependida e com medo de sofrer represálias por parte da família do bebê e de outras pessoas. #Polêmica