Um vídeo publicado no Facebook mostra uma briga entre uma jovem e sua mãe. As imagens mostram um confronto entre as duas. Não se sabe o que levou as mulheres, que deveriam ser próximas, a tomarem tal atitude. No entanto, cogita-se nas redes sociais que a jovem não teria gostado de levar uma bronca da mãe, que não gostaria de seu namorado. Irritada com a repetição das broncas, ela partiu para cima da matriarca. As duas acabaram rolando por um matagal e quase as cenas acabam em tragédia. A jovem sobe em cima da mãe e, em seguida, mostra conhecer um pouco de arte marcial. Ela chega a dar um mata-leão na mulher, que é notavelmente muito mais velha que a filha.

Enquanto isso, um grupo de mulheres, provavelmente parentes ou vizinhas das duas, gritam desesperadamente, a fim de que elas parem de realizar tais atitudes.

Publicidade
Publicidade

"Tânia, pelo amor de Deus, larga tua filha", diz uma das mulheres. Uma senhora usando vestido longo, característico de uma denominação evangélica, entra no meio da briga e sem dificuldade consegue ter êxito na tarefa de separar as duas. O vídeo termina com elas se levantando e com algumas curiosas indo embora. Não se sabe quem gravou e divulgou o vídeo nas redes sociais, tampouco o que aconteceu depois da pancadaria. A briga, é claro, fez reacender um polêmico debate, que gira até que ponto os pais mandam em seus filhos e que eles devem obedecer quem os colocou no mundo. Mutia gente ficou indignada com o que viu.

Veja abaixo o vídeo que mostra a filha batendo na própria mãe. As imagens acabaram viralizando e já tem mais de 120 mil visualizações apenas no Facebook. Atenção, as imagens contém cenas de violência.

Publicidade

Por isso, deixamos o nosso alerta. Na sua opinião, o que pode explicar as cenas vistas no vídeo abaixo? Isso é uma prova da falta de respeito que hoje alguns filhos mostram com quem, na verdade, deveriam mostrar dedicação? Deixe o seu comentário. A sua mensagem é sempre muito importante para todos nós, pois ela abre o diálogo sobre os temas importantes da nossa sociedade. #Crime