O goleiro Bruno se apresentou nesta quinta-feira (2), no Fórum de Santa Luzia, localizado na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Após sua liberdade, conforme á decisão de soltura do Supremo Tribunal Federal (STF), ele teria que apresentar um endereço fixo. Ele compareceu em companhia de seu advogado, e entregou um comprovante de endereço na capital mineira, mas não quis falar com imprensa.

Bruno que ficou preso por quase 7 anos, deixou a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), no último dia 24. Ele foi julgado e condenado a 22 anos de prisão, pelo #Crime triplamente qualificado, pelo sequestro, morte e ocultação de cadáver de Elisa Samudio, morta em 2010.

Publicidade
Publicidade

Na saída do Fórum alguns fãs esperavam pelo goleiro, e até tiraram fotos com ele. Bruno não conversou com a imprensa, mas seu advogado Lúcio Adolfo, justificou o silencio de seu cliente, informando que ainda existem algumas questões processuais pendentes, como pensão alimentícia, questões com o antigo clube, Montes Claros. O silêncio também servia para não atrapalhar futuras negociações.

Lúcio Adolfo informou à imprensa que Bruno apresentou um comprovante de residência em Belo Horizonte, mas que poderia ter que retornar e alterar seu endereço. Pois segundo ele, seu cliente já teria recebido proposta de voltar a jogar em 9 clubes brasileiros. Sendo três do Rio de Janeiro, dois em São Paulo, um em Brasília e três em Minas Gerais. O advogado afirmou ainda que dois desses clubes pertencem à séria A, do Campeonato Brasileiro de #Futebol.

Publicidade

Ao ser questionado quais seriam estes clubes, Lúcio Adolfo falou que os próprios clubes pediram sigilo até o final das negociações. Porém informou que acredita que nos próximos oito a dez dias, seu cliente deverá estar com contrato assinado com um desses clubes.

Em entrevista o defensor de Bruno, informou ainda que o goleiro estaria viajando esta sexta-feira (3), para o Rio de Janeiro para ver sua esposa Ingrid Calheiros, e conhecer sua casa, já a quase 7 anos ele não vai em casa, disse ele. Ingrid que é dentista, trabalha e reside na cidade carioca.

O advogado de Bruno informou ainda que o goleiro decidiu ficar em silêncio para não ser mal interpretado, pois a última entrevista em que deu, ao falar sobre sua liberdade, gerou muita polêmica. A uma emissora de Tv o goleiro declarou: “Se eu ficasse lá (prisão), tivesse prisão perpetua, por exemplo no Brasil, não ia trazer a vítima de volta”. A declaração gerou revolta entre os familiares de Elisa Samudio, o que gerou enorme polêmica entre os usuários de veículos de comunicação. #Casos de polícia