Um homem foi preso pelas autoridades acusado de ter mandado o seu cachorro de estimação morder uma criança na tarde de terça-feira (14), na Rua Dana Me Rio, no bairro Marcos Freire, zona leste de Porto Velho, em Rondônia (RO). O suspeito de ter cometido o #Crime de lesão corporal foi identificado pela polícia como Francisco de Canindé Moura, de 48 anos. O homem foi preso em flagrante e nega todas as acusações. Entretanto, moradores, ao ficarem sabendo do ocorrido, ficaram revoltados e tentaram linchá-lo.

Segundo informações repassadas pela polícia, a vítima estava brincando na residência do acusado, que é vizinho da vítima, junto com o seu irmão, na noite de segunda-feira (13). Ainda, de acordo com a polícia, quando as duas crianças voltaram para a sua residência, o irmão mais velho de 4 anos, relatou para a sua mãe que, o acusado, tinha mandado o seu cachorro morder o seu irmão. Na ocasião, a mãe da vítima não notou nenhum ferimento no filho, pois, a criança estava usando calça e uma camiseta de manga longa.

Na manhã de terça-feira (14), a mãe do garotinho percebeu que o corpo do filho apresentava várias manchas de mordidas. Diante da situação, a mulher acionou a polícia relatando que o seu filho tinha sido mordido por um cachorro a mando do seu dono. Entretanto, uma viatura da polícia se deslocou até o local informado, onde confirmou a veracidade dos fatos. O acusado foi preso pela polícia quando o mesmo retornava para a sua residência por volta das 15 horas.

Inicialmente, quando os moradores tomaram conhecimento do caso, tentaram espancar Francisco, mas o mesmo conseguiu escapar e se escondeu em sua residência até a chegada dos policiais. Em seguida, foi levado em uma viatura da polícia até a delegacia da cidade, onde prestou o seu depoimento. Conforme consta em seu depoimento, Francisco negou todas as acusações. Após ser ouvido, ele foi autuado pelo crime de lesão corporal. A polícia da cidade abriu um inquérito e o caso está sendo investigado. As autoridades locais não informaram se o suspeito vai responder pelo crime preso ou em liberdade. #Investigação Criminal #Casos de polícia