Homem mata cunhada na Região dos Lagos, em Araruama, no último domingo, dia 05 de março. Após a vítima defender a irmã em uma discussão, foi baleada a sangue frio na cabeça, pelo cunhado que é policial aposentado da Polícia Federal.

Priscila Simas de Souza, 32 anos, estava passando as férias juntamente com a família em Araruama. A confusão começou quando sua irmã e o marido começaram uma discussão em frente à família. Sensibilizada a ajudar a irmã, Priscila se levantou contra o cunhado, que sacou uma arma e a atingiu com um tiro na cabeça.

O ex-policial federal Isaac Cesar Mathia Bezerra, de 58 anos, não se importou com quem estava presente no momento e matou a própria cunhada na frente de sua filha de apenas dois anos, chocando todos os familiares. Após o #Crime, o policial aposentado fugiu da cena do crime.

Publicidade
Publicidade

Priscila chegou a ser socorrida e encaminhada para o hospital mais próximo, no entanto a vítima não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. O marido dela, que não estava presente no momento, prestou depoimento afirmando que sua filha estava abalada e não parava de falar que “a mamãe tinha morrido, que o titio, havia matado a mamãe!”.

Afirmou ainda que Isaac era um homem muito ciumento e que constantemente recebiam ligações da #Cunhada afirmando que queria sair daquele ambiente, mas que o marido a proibia. E mesmo com os ataques de ciúmes, o atirador nunca tinha ido tão longe e que nunca tinha levantado a mão para a esposa, mas que daquela vez, se excedeu. E ainda afirma: “Não sei como vai ser agora”.

No momento em que o crime acontecia, o esposo de Priscila estava na Vila Valqueire, Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde reside com a família.

Publicidade

E quando foi informado sobre o ocorrido, sua esposa já se encontrava falecia e que logo seria liberada do IML (Instituto Médico Legal), para que o enterro fosse realizado.

Em uma nota em rede social, o homem prestou homenagem a esposa falecida, contando sobre ser heroína ao tentar salvar sua irmã das mãos do marido ciumento e que foi assassinada com um tiro na cabeça. Afirmou ainda que Priscila era uma “mulher cheia de sonhos e planos para o futuro” e que foi brutalmente arrancada de suas vidas e de seu futuro por um homem inescrupuloso e sem coração. E esperava que a companheira de anos descansasse em paz e que esperava que a justiça fosse feita, em nome de sua perda.

O enterro foi realizado na terça-feira, no dia 07 de março no Cemitério Inhaúma, localizado na Zona Norte do Rio. Os familiares estão muito abalados e fragilizados com a situação.

O criminoso e ex-policial federal Isaac foi localizado durante uma blitz realizada pela Polícia Rodoviária Federal na última segunda-feira, dia 06 de março.

Publicidade

O homem estava fugindo em um veículo, considerado suspeito pelos policiais rodoviários, após abordá-lo, o reconhecimento foi feito, assim como a prisão. Dentro do carro foram localizados 27 munições do calibre 9mm, e outros dois carregadores, mas não era a mesma arma do crime, que ainda falta ser localizada. O homem afirmou que a deixou no local do crime. Isaac será indiciado e poderá pegar até 30 anos de reclusão por seu crime. #Morte