O #Crime aconteceu neste último domingo (5), em Araruama, na Região dos Lagos, Rio de Janeiro. Priscila Simas de Souza, de 32 anos, e seus familiares estavam passando as férias, em Araruama, quando uma confusão entre sua irmã e o marido aconteceu. Priscila foi defender a irmã, e foi atingida com um tiro na cabeça pelo próprio cunhado, Isaac Cesar Mathias Bezerra, de 58 anos, que é policial federal aposentado. E tudo aconteceu na presença de sua filha uma criança de apenas 2 anos de idade. Após o crime Isaac fugiu.

A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo. De acordo com o marido de Priscila que preferiu não ser identificado, no momento em a esposa foi atingida ele não estava presente, mas sua filhinha havia presenciado tudo e contou a ele que a ‘mamãe’ havia morrido.

Publicidade
Publicidade

O homem afirmou ainda, que o atirador era um homem muito ciumento, e que as brigas entre o casal eram constantes, mas ele nunca havia se excedido como desta vez. Ele contou que a família toda está devastada, estão todos em choque. “Não sei como vai ser agora”, declarou ele.

No momento do crime o viúvo estava em Vila Valqueire, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, onde ele e a família mora. Logo que recebeu a notícia do acontecimento, ele se dirigiu á Araruama, para buscar a filha e liberar o corpo da esposa que estava no IML(instituto Médico Legal).

O marido da vítima comunicou a morte da esposa em rede social, afirmando que ela teria morrido por uma covardia brutal, que tentou intervir em uma discussão e foi assassinada com um tiro na cabeça. Ele lamentou, informando que a esposa era uma “menina cheia de sonhos”, e amada por todos.

Publicidade

Desejou que a companheira descansasse em paz e declarou seu amor por ela.

O sepultamento da jovem acontece nesta terça-feira (07), a família está muito abalada. Ela será enterrada no Cemitério Inhaúma, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Isaac foi preso em uma blitz feita pela Polícia Rodoviária Federal, realizada nesta segunda-feira (6). Os policiais avistaram o veículo do suspeito e o abordaram e confirmaram ser ele o condutor do veículo. Dentro do carro foram encontrados 27 munições 9mm, além de dois carregadores. Ao ser questionado sobre a arma utilizada no crime, o policial aposentado afirmou ter deixado no local do crime.

O caso segue sendo investigado pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG).

#Casos de polícia