Mais um caso abominável de violência sexual doméstica é destaque na mídia internacional.

Desta vez a ocorrência vem do continente africano. Alegando que estava preparando as filhas e sobrinhas para o casamento, Enock Mweene, de 45 anos de idade, foi flagrado pela própria esposa tendo relações sexuais com as filhas. O flagrante, foi nesta sexta-feira (17), na cidade de Magoye, na Zâmbia, África Ocidental, e gerou indignação em toda a comunidade local.

Pai de sete crianças, sendo quatro meninos e três meninas, o homem agia de forma premeditada por muito tempo. Ele esperava a sua mulher sair para praticar os estupros domésticos, conforme informou a policia local.

Publicidade
Publicidade

Na última sexta, no entanto, a farsa foi desmascarada quando inesperadamente a mulher retornou para casa por algum motivo não detalhado. Ao entrar no quarto, pegou o marido no flagra. Enfurecida com toda a cena que acabara de presenciar, a mulher chamou todos os vizinhos do casal e contou o ocorrido. Os relatos geraram uma revolta generalizada, que culminou com um linchamento. Populares se juntaram e começaram a espancar o homem.

Enquanto era agredido e pressionado pela população, o homem ainda admitiu que tinha relações também com as suas sobrinhas há mais de dois anos.

“Estou preparando minhas filhas e sobrinhas para o casamento. Esta é a minha intenção. Não me matem”, implorou o homem, enquanto apanhava.

As confissões geraram ainda mais revolta na comunidade. A polícia foi acionada e o homem escapou da morte porque foi levado pelos agentes diretamente para a delegacia, onde foi indiciado por estupro.

Publicidade

Não se sabe por quanto tempo ele ficará detido. Segundo a mídia local, ele não chegou a ficar ferido a ponto de correr risco de morte. Mas não se sabe o que acontecerá com o sujeito quando voltar à sua província.

“Estamos chocados com esse homem e com os relatos de que ele está dormindo com suas filhas desde 2015. Quando sua mulher chegou ele estava em cima de sua segunda filha”, disse um morador local para a imprensa da Zâmbia.

#Crime #Casos de polícia