Geraldo Medeiros descobriu no fim da vida que os anos dedicados a diversas empresas onde ele deixou seu suor não foram o bastante para ele ter acesso à tão esperada compensação no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Mais do que isso. O idoso, de 72 anos, descobriu, nesta segunda-feira (13), que foi passado para trás durante toda a sua vida laboral.

A má notícia foi dada numa das agências da Caixa Econômica Federal em Goiânia, Goiás. Ele levou para a unidade bancária sete carteiras de trabalho, documentos acumulados ao logo das quatro décadas de trabalho, mas voltou de mãos vazias.

O servente de pedreiro aposentado ficou sabendo que todas as empresas pelas quais passou não fizeram depósitos do FGTS.

Publicidade
Publicidade

O atendimento no guichê foi rápido: cinco minutos. Mas a decepção foi muito grande na hora de olhar o papel com o saldo das contas inativas impresso.

Ele disse que esse não foi o único prejuízo na profissão, já que várias empresas nas quais ele foi fichado faliram e não pagaram as verbas rescisórias. Desanimado, Geraldo agora pretende procurar alguma orientação para saber como proceder. A intenção é tentar reivindicar suas perdas. Ele usaria o dinheiro para pagar contas atrasadas.

O cronograma de saques das contas inativas do FGTS começou na última sexta-feira (10). Nesta semana o calendário divulgado em janeiro continua levando muita gente para as agências da Caixa de todo o País. Nesta etapa podem sacar o dinheiro apenas as pessoas nascidas nos meses de janeiro e fevereiro. Trabalhadores que fazem aniversário em março, abril e maio poderão sacar em abril.

Publicidade

Já aqueles que nasceram em junho, julho e agosto, devem se dirigir às agências bancárias apenas em maio. Nas sequência, os nascidos em setembro, outubro e novembro ficam para junho. No mês seguinte - julho - podem retirar o benefício os nascidos em dezembro.

Vale lembrar que aqueles que não conseguiram sacar o valor no mês designado pela data de nascimento não precisam entrar em pânico. É possível procurar as agências até o último mês disponível no calendário, que é julho. Só depois desse prazo é que a possibilidade de resgatar as quantias das contas inativas se encerra de vez. #Crime #Investigação Criminal