Deu ruim para um homem que costumava ficar à espreita de escolas e creches no Plano Piloto, em Brasília, no Distrito Federal.

Segundo relatos, o cidadão, com aparência de ter mais de 50 anos, ficava sempre peladão em seu carro, observando o entra e sai das crianças das escolas. Até que as mães perceberam as aproximações do pervertido e resolveram dar-lhe uma lição.

Publicidade

Uma das mulheres foi até o carro do sujeito e o filmou totalmente nu. Com o flagrante deu para ver bem o rosto do indivíduo. Ele tem várias tatuagens, um bracelete verde no braço e uma corrente grossa no pescoço..

Publicidade

Posts de alerta foram publicados nas redes sociais. A mulher que se aproximou filmou a situação e deu uma intimada no pervertido, cujo carro estava estacionado próximo a uma parada de ônibus. “Que bonito para sua cara né, seu velho tarado”, diz ela, revoltada. “Vai, fica aí. Tarado, velho”, grita, enquanto ele dá o comando para fechar os vidros, cobre as partes íntimas com uma camiseta e engata a marcha para arrancar com o veículo do local.

As imagens teriam sido feitas pela mãe revoltada de uma aluna matriculada em uma creche na 713 Norte. Informações publicadas na imprensa local apontam que o pervertido estaria se masturbando no momento em que foi percebido. Na hora da filmagem, no entanto, ele apenas aparece nu, tentando se cobrir.

A 2ª Delegacia de #Polícia, na Asa Norte, abriu uma investigação com base no vídeo compartilhado e faz diligências para tentar identificar e prender o suspeito. Segundo a Polícia Militar, depois que as imagens foram divulgadas, um denunciante anônimo ligou para as autoridades.

Publicidade

Ele contou que teria reconhecido o suspeito como sendo seu vizinho.

Uma guarnição se dirigiu até o endereço apontado pelo denunciante e encaminhou o suspeito à 2ª delegacia. Ele foi ouvido e teria negado ser o pervertido. Ainda segundo a polícia militar, depois de prestar depoimento ele foi liberado, já que não havia qualquer denúncia formal ou flagrante em seu nome.

Quem tiver mais informações sobre o caso pode ligar para o 190. Não é preciso se identificar na chamada.

#Crime