No último dia 13, morreu no exercício de suas funções um soldado da Polícia Militar que atuava na tentativa de prender assaltantes de um carro forte em uma estrada vicinal na Região de Ribeirão Preto.

A morte de Erick Henrique gerou muita comoção na corporação e entre amigos e familiares. Mas houve quem comemorasse sua morte, mesmo sem conhecê-lo.

Em um post no Facebook, Marcella Pavan escreveu que “policial raça ruim tem que morrer mesmo”. Ao ser rebatida por outras pessoas, inclusive xingada, ela manteve o mesmo posicionamento de alegria em relação à morte alheia. Digitou vários caracteres que significam gargalhada na internet e depois escreveu que não estava generalizando, mas que existem policiais ruins assim como cabeleireiras e manicures.

Publicidade
Publicidade

Depois de proferir palavrões, ainda desafiou aqueles que não gostaram de sua opinião a falar com ela. E finalizou dizendo que apoia totalmente o fim da Polícia Militar.

É claro que o posicionamento da moça irritou muitas pessoas, inclusive policiais. Prints de sua foto e de seus comentários rapidamente viraram posts de repúdio e passaram a circular nas redes sociais, gerando ainda mais revolta.

A morte do soldado Érick Henrique durante uma perseguição em uma estrada vicinal que liga Jaboticabal à cidade de Barrinha já havia causado polêmica na região de Ribeirão Preto, após uma jornalista insinuar que o PM se expôs desnecessariamente à própria morte.

O coronel da Polícia Militar que comanda o policiamento na área então publicou uma nota de repúdio à emissora onde a jornalista trabalha, a EPTV Ribeirão, afiliada da Rede Globo.

Publicidade

O Coronel Figueiredo, titular do CPI-3, disse que a maneira irônica como a jornalista se referiu à morte do policial causou indignação em toda a corporação e também entre familiares e amigos.

Na nota de repúdio publicada nas redes sociais, o coronel disse que Érick foi um herói e ressaltou que a categoria é a única na sociedade que se expõe diariamente a riscos de morte para proteger aqueles que nem conhece.

A apresentadora se retratou e pediu desculpas horas depois, ao vivo, no mesmo telejornal.

Diante da repercussão, a profissional disse que errou na maneira com que tratou o assunto, mas que não houve má intenção. Finalizou frisando que a emissora lamenta que a maneira com que a notícia foi veiculada tenha dado ao telespectador uma interpretação errada.

#Crime #Investigação Criminal