Já imaginou, você vai à praia e de repente assiste a um grupo de presos tomando banho de água salgada? Isso aconteceu na praia de Atalaia, uma das mais famosas da cidade de Aracaju, no estado de Sergipe. A cena inusitada foi realizada na quarta-feira, 15, e, segundo informações do portal R7, envolveu os internos do Hospital de Custódia e Tratamento Penitenciário do estado. Os presos, que na região são chamados de reeducandos, foram autorizados por um juiz a terem o dia de curtição na praia. Um deles não parecia tão feliz, pois não sabia nadar tão bem. Os outros, no entanto, estavam com o sorriso de orelha a orelha.

Ao todo, segundo o portal de notícias da Record TV, quinze presos tiveram a oportunidade de irem à praia, em pleno meio da semana.

Publicidade
Publicidade

Eles foram ao local acompanhados dos agentes penitenciários, que também tiveram um dia bastante diferente. Psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais da penitenciária também acompanharam o dia para lá de inusitado. Um dos detentos, inclusive, foi pela praia pela primeira vez. O portal lembra que todos os quinze reeducandos tem problemas psiquiátricos, mas também cometeram crimes e, por isso, foram parar em uma penitenciária.

Na internet, no entanto, muita gente reclamou da postura da justiça. A maioria, é claro, não sabia que os detentos estavam passando pelo tratamento voltado ao psicológico. “Como não sou presidiário, não posso ir à praia hoje, pois tenho que trabalhar”, confessou um internauta completamente irritado com o que estava acontecendo. Todos eles foram selecionados, antes de participarem do dia diferente na prisão.

Publicidade

A escolha dos presos foi feita pelos funcionários da prisão, que tiveram que analisar quem seria capaz de ir à praia, sem gerar qualquer problema. Psicólogos também precisaram autorizar tal ida.

Em entrevista ao portal R7, Renta Azevedo, diretora da cadeia que permitiu tal intervenção, explicou que esse é apenas um dos passeios autorizados pela justiça durante o ano e que é como se fosse uma terapia. Além de irem à praia, os reeducandos ganhando picolés e refrigerantes. #Crime #Investigação Criminal