Esse caso lamentável ocorreu na manhã de quarta-feira (29) no interior do Ceará, na cidade de Tauá. A mãe do recém-nascido é uma adolescente de 17 anos.

Segundo informações, a jovem tinha ido ao hospital da cidade apenas para fazer uma consulta, pois estava passando muito mal, mas acabou entrando em trabalho de parto no banheiro na unidade médica. Como seus familiares não sabiam da gravidez, ela acabou abandonando o bebê no vaso sanitário do hospital. Por sorte, um médico que estava passando no corredor ouviu o choro e foi averiguar o que era. Ao chegar se deparou com o recém-nascido jogado dentro do vaso. O bebê foi atendido imediatamente pela equipe médica do local, passa bem e não corre risco de morte.

Publicidade
Publicidade

A mãe

A mãe da criança saiu do hospital como se nada tivesse acontecido e foi encontrada por uma equipe do Conselho Tutelar no centro da cidade. Elas a encaminharam de volta à unidade de saúde para receber atendimento médico. A adolescente precisou ser hospitalizada, pois estava sentido fortes dores abdominais.

Segundo informações passadas pela polícia de Tauá, a avó da criança foi levada até a delegacia, onde afirmou que a filha foi levada para o hospital pois estava com dores na barriga. Ela assegurou que a família não tinha conhecimento da gravidez.

Conclusão do caso

A jovem foi autuada por ato infracional análogo ao #Crime de tentativa de homicídio. Ela ainda está internada, sob escolta policial. O bebê está sob cuidados do Conselho Tutelar.

Outro caso polêmico envolvendo uma criança

Uma menina de apenas 4 anos de idade foi raptada em Fortaleza na segunda-feira (27).

Publicidade

Segundo informações, a criança estava brincando na calçada quando um homem a pegou e saiu correndo com a menina para um matagal nas proximidades. A Polícia Civil ainda está investigando esse caso, mas não encontrou nem o homem e muito menos a menina raptada.

A Polícia Civil informou que o suspeito seria conhecido na região. No entanto, detalhes não estão sendo repassados para não atrapalhar as investigações. #Polêmica #Casos de polícia