A mãe de uma criança de 1 ano e 4 meses, que foi morta com sinais de violência físicas e sexuais, deu uma nova versão a história contada por ela no dia da morte de sua filha, no dia 03 de maço deste ano. A mulher admitiu a violência contar a criança á Polícia de São José do Rio Preto. E agora passará a ser investigada por homicídio, pois inicialmente a mesma era investigada por negligência.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Dálice Ceron, a mulher admitiu violência contra a filha, mas alegou que a criança teria caído de um sofá, e que vinte dias antes havia sido internada por conta da queda. Porém conforme a delegada as lesões encontradas no corpo da criança seriam impossíveis, a veracidade desta versão.

Publicidade
Publicidade

Entenda o caso

A mãe da criança chegou com a criança já sem vida no inicio do mês, e deu entrada em uma UPA da cidade. O pediatra que atendeu a criança e viu os hematomas comunicou a polícia. A mãe da criança disse à polícia que os hematomas eram de uma queda que a criança teria sofrido, e que as marcas de mordida em seu corpo eram de seu irmão mais velho, que também é uma criança.

O corpo da bebê foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Preto, e o médico perita que realizou os exames no corpo da criança, constatou que ela tinha sofrido violência sexual, e possuía lesões graves no fígado.

Inicialmente os pais de 19 anos negaram existir violência sexual, ou qualquer tipo de violência. Na ocasião da morte da criança outras duas pessoas que matinham contato com a bebê também foram ouvidas e negaram.

Publicidade

Todos cederam material genético que foram entregues para perícia para que sejam realizados exames necessários.

Segundo Dálice Ceron em um novo depoimento a mãe da criança admitiu a existência de abuso sexual, mas não quis dar detalhes de como tudo teria acontecido. A delegada afirmou não poder dar maiores detalhes: “Ela admitiu a autoria, os autos são sigilosos e não podemos passar detalhes”, disse ela.

Dálice acrescentou que a partir do novo depoimento dado pela mãe da criança, será realizado uma constituição do #Crime, para dar mais transparência ao caso. “Ela vai ter de descrever todos os passos dela nessa conduta”, acrescentou à delegada.

Segue o vídeo com a matéria sobre a morte da bebê:

#Casos de polícia