Os pais são responsáveis por zelar pelas vidas dos seus filhos, principalmente quando esses são pequenos e indefesos. Mas, infelizmente, isso nem sempre acontece. Nesta segunda-feira (28), uma mulher confessou ter matado a filha de 4 anos com um #Golpe de faca no coração. O caso aconteceu na cidade de Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS).

Sem acreditar no que tinha acontecido com sua filha, assim que chegou em casa e viu a cena, o pai tentou socorrer Clarice dos Santos Fagundes, levando-a para o hospital. Contudo, a menina não resistiu aos ferimentos e acabou vindo a falecer.

Neila dos Santos Fagundes foi presa em flagrante pela polícia, e disse que cometeu o #Crime por ter ouvido vozes de espíritos que diziam para matar a filha.

Publicidade
Publicidade

A acusada acrescentou que acabou fazendo o que estavam lhe ordenando.

De acordo com o delegado Valeriano Garcia, da Divisão de Homicídios de Canoas, ela não mostrou nenhum arrependimento pelo que fez e confessou que já teve esse pensamento de matar a criança outra vez. “Eu havia pensado quando a gente teve uma queda no mundo espiritual”, revelou a #mãe da vítima.

Num vídeo gravado pela polícia, ela disse que parecia que estava fazendo o certo e depois parecia que estava fazendo errado. Ainda de acordo com o delegado responsável pelo caso, não há nenhum laudo que comprove que a mulher tenha distúrbios mentais.

Quando a polícia chegou ao local do crime encontrou a acusada sobre a cama, que disse ter tentado se matar com a mesma faca usada no homicídio da filha. A arma tem cerca de 15 centímetros de comprimento.

Publicidade

Após o homicídio, Neila foi levada ao Hospital de Pronto Socorro de Canoas (HPSC), no qual está sob escolta da polícia. Ela será encaminhada para o presidio da região assim que receber alta.

Para você, o que leva uma pessoa a cometer um crime brutal como esse? Será algum distúrbio psicológico, ou isso faz parte da índole da pessoa? Compartilhe sua opinião com a gente e deixe sua resposta nos comentários. Queremos saber o que você pensa sobre o assunto.