Infelizmente, muitas crianças são vítimas de crimes todos os dias. Algumas delas, acabam desviando-se do caminho do bem e também cometem delitos, muitas vezes graves. O jornal 'O Globo', por exemplo, divulgou nesta terça-feira, 28, um caso que está chamando a atenção da mídia. Quem passava próximo à delegacia de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, via uma mãe desesperada. Ela chorava ao saber que seu filho, um menino muito magro, de apenas 12 anos, estar envolvido com o tráfico de drogas. O menor de idade foi apreendido por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

De acordo com os policiais, apesar de magro e pequeno, o garoto já teria um histórico de envolvimento com o tráfico de drogas na região.

Publicidade
Publicidade

Inclusive, no momento em que houve a abordagem policial, o menor, que não teve o nome identificado, estava pilotando uma motocicleta. O veículo de duas rodas, mais tarde, descobriu-se, pertence ao pai do menino. O menino foi levado para a Rua Sá Ferreira, onde a mãe o avistou. Ao saber da notícia, ela estava inconsolável e somente queria bater na crianças. Ao mesmo tempo, ela chorava descontroladamente.

A mulher chegou a aparecer com um pedaço de madeira na mão para bater no garoto, mas os policiais não deixaram que a agressão ocorresse. Eles preferiram levar o menino para a delegacia, mas quem disse que a mulher desistiu de dar uma lição no seu filho? “Quem vai bater nele sou eu. Não vai ser a polícia. Não quero ver o meu filho preso igual ao pai dele”, dizia ela aos berros. A avó do menino tentava lembrar a mulher que ela estava diante de policiais e que podia acabar sendo presa, que nem o pai do garoto.

Publicidade

O menor teria envolvimento até mesmo em um tiroteio contra os policiais. Ele também vendia drogas na região.

A mulher ainda gritou desesperada dizendo que trabalha e que o menino não precisava ser que nem o pai. Após serem ouvidos pela polícia, mãe e filho foram liberados, mas agora o caso ficará a cargo do Conselho Tutelar da região. O garoto pode ser levado a um abrigo. #Crime