Na internet, nem tudo o que parece é. Uma mulher, que se passava por homem por conta de seu rosto masculinizado, acabou sendo presa acusada de se fingir do que não era nas redes sociais. Vanessa da Silva Correia, de 30 anos, aplicava diversos crimes nas redes sociais. Ela seduzia suas vítimas por meio de aplicativos, nos quais se fingia de homens bonitos e ricos, até mulheres modelos. As conversas, aos poucos, acabaram convencendo muitas pessoas. Em um dos golpes, Vanessa fingia que necessitava do dinheiro para receber uma indenização. Compadecidos, eles acabavam dando a grana, mas quando marcavam para conhecer o belo homem ou a modelo saradona, ninguém aparecia.

Publicidade
Publicidade

Vanessa, na verdade, dada o golpe no aplicativo de paquera.

Segundo uma reportagem publicada pelo portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta segunda-feira, 13, Vanessa criava muitos fakes em sites com o Facebook, onde simulava ser quem não era. Não demorava muito para que ela convencesse as vítimas de darem dinheiro à elas. A delegava Renata Fagundes, em entrevista ao portal da Record TV, falou como o golpe acontecia. Vanessa revela que a criminosa começava uma conversa e, em seguida, fingia que um relacionamento era iniciado. Para convencer as vítimas, a mulher com cara de homem contava várias historinhas. Em algumas delas, ela revela dificuldades financeiras. Em outras, que precisava de dinheiro para conseguir dar entrada em uma indenização trabalhista.

O problema foi que um dia alguém descobriu que a mulher, na verdade, não era homem.

Publicidade

A pessoa muito irritada decidiu ir à delegacia e denunciou a farsante. A polícia começou a investigação e descobriu que a acusada fingia ser muitas pessoas que era. Ela tinha vinha várias vidas paralelas. No geral, em todas, o objetivo era cometer um #Crime. Os dias de interpretação da mulher com cara homem acabaram e agora ela está na casa de custódia, onde vai aguardar julgamento.

O que você achou da prisão da mulher? Deixe seu comentário. Ele é sempre importante para todos nós. #Investigação Criminal