No fim da manhã deste último domingo (26), um #Crime contra uma menina, de apenas 4 anos, chocou os moradores de Canoas, município do entorno de Porto Alegre. A acusada de ter golpeado a criança com uma faca de cozinha, é a própria mãe da menina. Ela foi identificada como Neila dos Santos Fagundes, de 30 anos, e matou a criança em seu próprio quarto, na residência onde as duas moravam. O pai da menina, não estava em casa quando o crime aconteceu, e quando voltou encontrou a filha já sem vida e a mulher caída sobre o cadáver da mesma. Ele ainda tentou pedir por ajuda de vizinhos, que levaram a criança até o hospital municipal, mas ela já havia falecido.

Publicidade
Publicidade

Depois de cometer o crime, a mulher teria tentado se matar enfiando a faca em seu próprio ombro, mas teve apenas ferimentos leves. Ela também foi levada ao pronto socorro do hospital e passa bem. A polícia militar foi chamada até a residência onde a família morava e encontrou a arma do crime. Neila foi presa em flagrante e quando questionada sobre as motivações que a levaram a matar a própria filha, ela respondeu com frases vagas e sem sentindo, mas com precisão quanto ao crime que acabara de cometer. Uma gravação foi feita, e mostra o momento em que ela descreve com frieza o assassinato:

Segundo relatou nas filmagens, a mulher disse que teria tido uma ‘queda espiritual’ e que por isso, teria atingido a filha.

Publicidade

Ela ainda afirmou que uma ‘voz’ teria falado em seu ouvido que ela precisava matar a menina. Quando questionada ela confirmou que não seria a primeira vez que teria ouvido essa a ‘voz’ para que matasse a criança, mas que essa seria a primeira vez que teria efetivado o ato. Apesar do discurso desconexo, e de sintomas compatíveis com distúrbios psiquiátricos, tais como alucinação e delírio, não existe nenhum relatório explicitando problemas médicos. Ela será encaminhada, tão logo receba alta para penitenciária. A forma como ela explica friamente o crime, assusta. O pai da menina está consternado, e disse nunca ter esperado que uma coisa dessas pudesse ter acontecido. Ele também não relatou que mulher sofresse de transtornos mentais. O corpo da criança foi encaminhado para o IML. Neila deverá aguardar decisão judicial presa. #Investigação Criminal