Desde que tomou posse em 1º de janeiro, o prefeito do município de Cabo Frio, no Rio de Janeiro já empregou pelos menos três membros de sua família. O caso tem sido considerado como o de nepotismo por alguns moradores da cidade. O político é Marquinho Mendes (PMDB), e vem sendo criticado pelas medidas que vem tomando desde que assumiu o cargo.

Ele já empregou a mulher, Ingrid Kaylla Mendonça de Macedo, para um cargo no Serviço de Assistência Social do município. Ela assumiu a secretaria e será uma das gestoras das atividades prestadas. Ela entrou para a posição desde o início desse mês e já desempenha a função. Outra pessoa da família a entrar para a prefeitura é o sogro de Marquinhos, Antônio Silvio Lopes de Macedo que será o vice-presidente da Companhia de Serviços Públicos e também já ocupa a posição.

Publicidade
Publicidade

Como se não bastasse os dois empregos já concedidos, o cunhado do político também terá um espaço na gestão. Ele é Pablo Anthony Mendonça de Macedo, e é um dos superintendentes desde o início de janeiro. Apesar das repercussões negativas, o prefeito não declarou nada à imprensa em relação às funções que concedeu a família.

Esse não é o primeiro caso de cabide de emprego relatado desde que os prefeitos começaram a assumir os cargos no início de janeiro. Segundo o Supremo Tribunal Federal, de acordo com a Sumula Vinculante 13, a nomeação de cônjuge, companheiro, ou parente até o terceiro grau, fica vetado de prestar serviço de cargo de chefia, comissão de confiança em setores públicos, sob pena de estar violando a Constituição Federal.

No entanto, inúmeros dos políticos que empregaram parentes conseguiram uma liminar no STF contra a imposição da lei.

Publicidade

Em alguns casos como o de Marcelo Crivella (PRB), no Rio de Janeiro, o Supremo, através no ministro Marco Aurélio suspendeu o decreto feito pelo prefeito, que concedia a seu filho o cargo de secretário na Casa Civil do município. Contudo, essa não é uma realidade em todos os municípios do país e o que se vê é uma crescente onda de empregos a familiares nos municípios. #Política #Crime #Casos de polícia