Na tarde da última sexta-feira (24), uma mãe foi filmada espancando a própria filha de colo, nas ruas do município de Guangdong, na China. Somente agora as imagens chocantes foram divulgadas causando revolta nas redes sociais. Nas cenas a mulher aparece literalmente jogando a criança no chão com força. A atitude seria uma tentativa esdrúxula de tentar fazer a criança parar de chorar. A menina que aparenta ter no máximo nove meses, ainda não consegue ter equilíbrio nem mesmo para andar.

Caída do chão a bebê continua a chorar alto, pois sente o impacto da queda. Como se não bastante, a mulher que vestia uma jaqueta de frio rosa, e calça de cor bege, começa a deferir ponta pés na menina ainda caída no meio da rua.

Publicidade
Publicidade

Um chute acerta as costas da bebê que com o movimento acaba batendo no meio fio. As cenas são de terror, e incomodam pela brutalidade com que uma mãe consegue espancar o próprio filho.

As gravações duraram apenas seis segundos, mas foram suficientes para denunciar a mulher, que foi identificada como Chen, de 27 anos. Nas imagens ela ainda aparece reclamando que apesar de ter apanhado a neném continua gritando e chorando desesperadamente. Assista às cenas terríveis da agressão no vídeo a seguir:

O flagrante foi parar na mão da polícia, que precisou se envolver diante do caso de violência. A mulher foi localizada em sua própria casa e encaminhada para a delegacia para prestar depoimento. Segundo relatos na polícia a jovem mãe disse que estava muito nervosa, e que não conseguiu se controlar.

Publicidade

Disse também estar extremamente arrependida pelo que fez. De acordo com as autoridades que investigam o caso, a criança não teve nenhuma lesão séria, foi atendida e ao que parece passa bem.

Depois de prestar esclarecimentos na delegacia Chen foi liberada sem nenhuma outra repercussão para si. Para algumas pessoas é inadmissível que uma mãe agrida a própria filha dessa maneira e não seja punida. Vários internautas se manifestaram diante da filmagem nas redes sociais na página onde ela foi compartilhada, dizendo que a menina deveria ser protegida da mulher. E resguardada pelas autoridades. #Crime #Casos de polícia