Como qualquer adolescente típica brasileira, as meninas desta foto gostam de tirar selfies fazendo biquinho e pose de modelo. Mas, nesse caso, há uma importante diferença. Além de mostrar a juventude, as amigas ostentam armas pesadas. Se são ou não de verdade, é uma outra história.

O fato é que a intenção delas é realmente impressionar aqueles que se deparam com a imagem nas redes sociais. A foto compartilhada no Facebook acabou repercutindo nas páginas noticiosas especializadas no trabalho da polícia.

Por muitos internautas elas passaram a ser chamadas de marmitas de bandido. É o termo usado para meninas que se relacionam com traficantes e outros tipos de criminosos.

Publicidade
Publicidade

Nesta foto em especial, um dos posts identifica as meninas como moradoras da Vila Kennedy, reduto que integra o bairro de Bangu, localizado às margens da Avenida Brasil, no Rio de Janeiro.

A Vila Kenney é um dos pontos importantes de distribuição de drogas na capital fluminense. No entanto, não há confirmação se a selfie teria sido feita realmente naquela localidade e nem se as armas são verdadeiras.

No último dia 10 de março, outras duas jovens apelidadas de “bandivas”, que ostentaram armas em uma foto posada com coletes e roupa camuflada, prestaram depoimento no 21ª DP, em Bonsucesso.

Identificadas como Thamires da Silva e Érica Santos, a moradoras do Complexo da Maré disseram que estavam segurando réplicas e não armas verdadeiras. Contaram que a foto foi uma brincadeira e que depois da repercussão passaram a ser ameaçadas de morte por traficantes locais e por bandidos de facções rivais.

Publicidade

Thamires é manicure e disse que estava fantasiada para um evento carnavalesco. Já Érica relatou que ficou muito assustada com a repercussão. “Somos trabalhadoras”.

Elas levaram as armas e os apetrechos de brinquedo que pegaram emprestado de amigos para compor as fantasias. Uma réplica era de fuzil e a outra era uma pistola de brinquedo.

O titular do distrito policial, Wellington Vieira, explicou que as investigações continuam normalmente, ressaltando que mesmo após a comprovação de que as armas que aparecem na foto são mesmo de brinquedos as duas podem ser indiciadas por associação para o tráfico.

#Crime #Casos de polícia