A imprensa paranaense noticiou a queda de um helicóptero no bairro Estação, em Araucária, região metropolitana de Curitiba (PR), na sexta-feira (17), às 15h15. O acidente deixou quatro feridos, um estado grave e nenhuma vítima fatal. O trabalhador em estado grave é técnico da Transpetro, subsidiária da #Petrobras; outro mecânico, um motorista da Icaraí Táxi Aéreo e o piloto.

Até o momento, não foi divulgada as causas da queda da aeronave PR-423. O socorro chegou rapidamente, pelas equipes da Guarda Municipal (o primeiro atendimento), do Corpo de Bombeiros e dos helicópteros da Polícia Militar e da Polícia Civil, que transportaram as vítimas para o Hospital do Trabalhador, o Hospital Evangélico e para o Hospital do Rocio.

Publicidade
Publicidade

“O que sabemos é que o piloto foi muito feliz porque conseguiu passar pelo meio dos postes e fios de luz, passar pela área de moradias e aterrissar na parte do canteiro. Isso evitou que o acidente fosse ainda pior”, informou o capitão Nelson Stocchero à imprensa local. Ele completou que este foi o primeiro acidente dessa natureza na cidade, e que revelou a eficiência a das equipes que prestaram o socorro. O acidente foi por volta das 15h15 e a imprensa, às 15h41, noticiava o ocorrido com as equipes em atividade.

Foi noticiado, ainda, que o prefeito de Araucária, Hissam Hussein Dehaini, disse à imprensa que tanto a aeronave como a empresa Icaraí Taxi Aéreo, dona do helicóptero, eram de sua propriedade [prefeito] e que as vendeu há três anos. Ele esteve na região do acidente e disse que irá aguardar o relatório do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) sobre o caso.

Publicidade

Segundo informou a Federação Única dos Petroleiros (FUP), às 23h de sexta-feira (17), o helicóptero foi fretado pela Transpetro. A federação manifestou, também, sua preocupação com o número de acidentes ocorridos no Sistema Petrobras e que este ocorreu a 16 dias da queda de outro aparelho na plataforma P-37, na Bacia de Campos, conforme noticiado.

A FUP acrescentou, ainda, que o Sindicato dos Petroleiros do Paraná e Santa Catarina (Sindipetro-PR/SC) informou que o trabalhador da Transpetro, um dos feridos, trata-se de Miguel Adriano, técnico em manutenção de dutos da subsidiária da Petrobras, bem como dois outros trabalhadores são terceirizados da Transpetro.

O Sindipetro-PR/SC confirmou que Miguel Adriano, o trabalhador mais gravemente ferido, é o técnico da Transpetro. Ele teve duas fraturas na coluna, lombar e cervical. Está sendo atendido numa Unidade de Atendimento Intensivo (UTI), sem risco de vir a falecer.

Indignada, a FUP comentou: "Este acidente traz mais preocupação e indignação à categoria.

Publicidade

Enquanto os petroleiros correm riscos diários em função da insegurança crônica que afeta todo o Sistema Petrobras e que piora dia após dia com o desmonte da empresa, os gestores tentam implantar goela abaixo da categoria um sistema de consequências para transferir para os trabalhadores a responsabilidade pelos riscos que eles nos impõem". #Acidente aéreo #Brasil