Um crime chocante motivado por vingança destruiu duas famílias, um homem matou sua filha adolescente de 13 anos para se vingar da mãe da garota. Saiba mais aqui.

De acordo com o portal de notícias online do jornal Extra, o agente penitenciário Dário de Oliveira e Silva matou com um tiro na cabeça sua filha Dayanne Mariano de Azevedo e Silva, de 13 anos, por não aceitar o fim do #Relacionamento com a mãe da garota e em seguida se matou.

Matou a filha para se vingar da amante

A tragédia aconteceu na noite desta terça-feira (21), no Parque Afonso, em Belford Roxo, localizado na Baixada Fluminense no Rio de Janeiro. Segundo as investigações preliminares da Polícia Civil, Dário mantinha um caso extraconjugal com a mãe de Dayame há aproximadamente 16 anos, contudo, há cerca de três meses a mulher resolveu terminar o relacionamento, deixando Dário inconformado.

Publicidade
Publicidade

Mesmo depois do fim do relacionamento, o homem tinha livre acesso a casa da ex-amante por causa da filha, neste périodo ele começou a agredir a mãe da garota e fazer ameaças constantes, em uma delas ele afirmou que a morte era pouco para a mulher com quem manteve um caso por mais de uma década.

O delegado responsável pelas investigações Willians Batista, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), informou que a ex-amante de Dário, com medo das ameaças, foi até a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), para registrar as ameaças que vinha sofrendo.

Ao que parece Dário premeditou o crime com a intenção de provocar o máximo de sofrimento possível a ex-companheira, já que cometeu este ato covarde na véspera do aniversário da mãe da jovem.

De acordo com a investigação criminal, a garota foi executada pelo pai por volta das 19h e cometeu suicídio em seguida.

Publicidade

A mãe da jovem ficou fora de casa por aproximadamente três horas e ao retornar encontrou o corpo da filha e do ex que possuía marcas de enforcamento.

No local a polícia encontrou a arma do crime, com 10 balas, sendo que duas estavam deflragradas. Não houve informações sobre a liberação dos corpos e sepultamento dos mesmos. #Investigação Criminal #Casos de polícia