Um homem foi preso acusado de estupro de vulnerável na tarde de quarta-feira (15), na cidade de Rio Brilhante, distante 158 quilômetros de Campo Grande, Mato Grosso do Sul (MS). O acusado de ter cometido o crime é um pastor de 44 anos, cujo nome não foi revelado pela polícia para não atrapalhar nas investigações. Para a polícia, ele é o principal suspeito de ter abusado de uma criança de apenas três anos, que é neta da sua esposa. Segundo informações, o sujeito já tem passagem pela polícia pelo mesmo crime.

Conforme informações repassadas pela polícia, a garotinha teria sido abusada pelo pastor por várias vezes, e os abusos aconteciam sempre da mesma forma. Sempre que ela pedia dinheiro para o acusado para comprar doces, o suspeito a atendia, mas em troca ele passava sua mão em suas partes íntimas. Ainda de acordo com a polícia, a mãe da vítima começou a desconfiar do comportamento fora do normal da filha e perguntou para ela o que estava acontecendo.

Em reposta, a vítima disse que não estava acontecendo nada, mas no decorrer da conversa a garotinha acabou revelado para a sua mãe que o acusado abusava dela toda vez que ela pedia dinheiro para ele. Diante da situação, a mãe da vítima foi até uma delegacia de polícia, onde registrou um Boletim de Ocorrência contra o acusado, relatando que a sua filha estava sendo vítima de violência sexual. Em seguida, uma viatura da polícia se deslocou até a residência do pastor, mas o mesmo não foi encontrado.

Conforme informações, um mandado de prisão preventiva contra o suspeito foi expedito. O acusado acabou se apresentando na delegacia da cidade na quinta-feira (15). Ele foi preso e em seguida prestou o seu depoimento para o delegado plantonista. Após o depoimento, foi encaminhado para uma penitenciária da cidade, onde ficará à disposição da Justiça para tomar todas as medidas necessárias dentro da lei.

De acordo com informações repassadas pela polícia, o sujeito já foi preso pelo mesmo crime, em outro estado. Na ocasião, ele foi acusado de ter estuprado a própria sobrinha. Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado pela polícia local. #Estupro #Investigação Criminal #Casos de polícia