Um pastor evangélico, identificado como Augusto Rodolfo Riss, de 54 anos, teria sido assassinado pelo próprio amante, um rapaz de 18 anos. A informação foi confirmada pela polícia ao site 'Bem Paraná'. O #Crime ocorreu no Sul do país e o amante do pastor foi preso pelos agentes da lei no fim de semana passado. Ele estava em sua casa, quando a polícia chegou. O pastor ficou desaparecido por dois dias, até seu corpo ser encontrado em um terreno baldio. Ele foi morto com socos, pontapés e até pedradas. O rapaz preso, que não teve o nome identificado pela polícia, confirmou que ele teria sim um relacionamento homossexual com Augusto. O pastor foi morto no dia 15 de fevereiro, em uma região conhecida como 'Bosque do Índio'.

A polícia se assustou com a cena encontrada.

Publicidade
Publicidade

No dia 17, os agentes encontraram o cadáver do religioso em situação completamente precária. Ele estava com hematomas em diversas regiões, que demonstram o espancamento que sofreu antes da morte. Além do amante de 18 anos do pastor, um outro adolescente teria ajudado no assassinato. O jovem teria o caso homossexual a dois anos com o pastor e tudo acontecia às escondidas, quando ele visitava a cidade onde o crime ocorreu. Ninguém da região sabia dos encontros sexuais que eles tinham. O criminoso que confessou o crime deu detalhes chocantes sobre o que aconteceu. Ele disse que deu sucessivos chutes e socos antes da morte do seu então companheiro e que não satisfeito, a fim de ter certeza que ele ia morrer, deu pedradas nele.

Como já é maior de idade, o amante do religioso foi preso preventivamente.

Publicidade

Uma viatura foi até à casa do rapaz e o prendeu. Ele não ofereceu resistência aos investigadores. A morte Augusto Rodolfo Riss virou um dos assuntos mais comentados do Sul do Brasil. Quem ficou à frente da investigação foi o delegado Osnildo Carneiro Lemes. Em entrevista ao site 'Bem Paraná', ele deu detalhes sobre o que aconteceu. No depoimento do jovem que matou o pastor, ele diz que os dois estavam juntos desde 2015. #Investigação Criminal